segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Uma opinião de peso...

Cara, estou boquiaberto e nunca hei de boquifecharme. Nem parece que o Vagner está escrevendo isso.
E eu nem deveria escrever o que vou escrever a seguir...
...nem parece que eu sou um lojista.
Ter um Polar 725X, completo, é o sonho de um monte de triatletas.
Mas, sinceramente, acho uma baita besteira. Pura vaidade.
Quando a gente começa a treinar: spinning, corrida a pé, esteira, até acho que um frequencímetro é necessário. Depois de algum tempo o tal do frequencímetro passa a servir de relógio mesmo. Atualmente nem a fita transmissora eu coloco mais.
Tênis é outra coisa interessante. Os Mizuno Creation 9 (nem sei se já tem o 10) custam uma nota preta. Aliás, uma nota não, um monte delas. Já me disseram que os Asics são tão bons quanto ou até melhores. Já elogiaram muito os NewBalance. O que interessa é o conforto. Não fez bolhas - valeu!
Bikes então, humpf, sem discussão. Tem muito triatleta correndo com bikes pesadas, somente com 9 velocidades, até sem clipe, e que dão um trabalho danado para os donos das Carbon.
Como lojista passei a observar meus clientes e consegui ter uma visão muito interessante de tudo isso.
Alguns têm muito dinheiro e só querem produtos "top" - mas não chegam a "lugar nenhum" com seus superequipamentos. Alguns não têm dinheiro e vivem "remendando" seus equipamentos - e conseguem posições de dar inveja.
Bom, como o Vagner disse, nada contra. Quem quiser gastar mais, fique à vontade. Quem não puder gastar muito, também existem boas opções a baixo custo.
Acho que o importante é estar lá, competindo, suando, superando. 
Na minha opinião o que faz a diferença mesmo é a dedicação - o treino. 
Levantar TODO DIA às 5 da manhã para correr nadar ou andar de bike, seguir uma alimentação compatível com os treinamentos, dedicar-se de corpo e alma ao esporte...ser "caxias" ao ponto de não "furar" ou não "roubar" nos treinos - isso realmente transforma o sujeito em um bom triatleta e supera tudo.

(bom, claro que uma Specialized Transition ajuda...rsrsrs)

domingo, 21 de dezembro de 2008

Semana de Treino

Essa semana, treino semelhante a segunda - um pouco de volume, um pouco de intensidade. Na segunda, treino com tiros de 30 segundos, na terça spinning e natação, quarta uma hora de 20 minutos de corrida, na quinta natação e spinning, sexta-feira day-off, no sábado o que eu quisesse e no domingo duas horas e meia de bike.

Bom, tive que fazer alguns ajustes - o treino de segunda foi feito na sexta, a bike de duas horas e meia no sábado e no domingo, o longo (na verdade, um longuinho, mas que fui duro de fazer por pura indisposição).

Sei lá porque, o Polar caducou. Mas, acompanhando um pouco a filosofia do Ironguides, estou quase utilizando o monitor apenas como relógio.

Nunca treinei por faixas de FC e nem mesmo cheguei a utilizar as informações do Polar no software para fazer avaliação de desempenho. Dou download das informações por curiosidade, para saber a queima de calorias, quilometragem da semana e registro dos resultados das provas.

Entretanto, me pergunto para quê tanta tecnologia se não uso as informações que ela produz.

Não sei porque, estou perdendo a curiosidade. Ando um pouco encanado com essa coisa de muita tecnologia em monitores, tênis e bikes, ainda que esteja com inveja do garmin que o Edú comprou, da vontade de ter um newton que eu suspeito que se adaptaria ao meu tipo de pisada, de um Okley que o Edú também comprou :-((((, da camisa de compressão da 2xu (que espero que a Eli me mande da Austrália) ou de uma Cérvelo (rs).

Acho que é um pouco a vontade de ter brinquedos...(aliás, nada contra...)

Mas o meu mal humor vai além: páginas em comunidades do Orkut e matérias em revistas sobre como correr, como escolher o tênis, como isso, como aquilo tem me deixado um pouco espantado. Certamente, é bem interessante a existência de uma cultura do triathlon, de uma filosofia de vida, que fala sobre treinos, alimentação, desafios psicológicos, superação. Guando a tudo isso se agrega tecnologia, como a Internet, acho fantástico! 

Mas há de se tomar cuidado com o consumismo. Depois que li um texto que o Vinícius postou no Ironguides sobre tênis, acho que muita discussão sobre equipamentos tira o foco dos treinos. O conceito é simplicidade - se você se dá bem com o que você tem, isso é o que importa. O meu kayano, por exemplo, me faz bem por um único motivo: ele não me dá bolhas no pé.

No fundo, toda o markting da indústria de material esportivo está baseado em uma cultura de massas que não deveria ser a cultura do triathlon. 

Tenho notado que há várias pessoas que correm com o único intuito de justificar uma compulsão consumista - quando poderiam correr para ficarem menos dependentes desse tipo de compulsão, começam a treinar para terem mais objetos a serem consumidos.

Enfim...




 



terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Semana de Treino

Semana passada foi difícil. Inúmeros problemas mudaram a rotina e fiz alguma improvisão nos treinos

Segunda, a parte mais importante do treino eram tiros de 30 segundos com 30 de trote, durante 20 minutos. Minhas pernas simplesmente estavam como dois blocos de concreto.

Terça-feira, tive que trabalhar e não fui treinar.

 Quarta, sai para treinar as 18:30, mas a chuva me pegou na porta do prédio e tive que voltar. Não passava e, depois de uma hora, me entreguei. Fiquei em casa, super impaciente.

Na quinta, o tempo estava com a mesmissima de terça. Pensei, vou sair as 18:00 para a Runner. Sai...putz, a chuva começou mais cedo! As vezes eu acho que São Pedro tem comigo um problema pessoal!! Desencanei e fui com o guarda-chuva chinês de R$ 5,00. Cheguei ensopado - mas treinei! Só que diz natação e bike, quando esse era o treino de terça!

Na sexta-feira, fiz o treino de quinta. E, no sábado, que era day-off, uma corrida na Runner para compensar a quarta.

No domingo, estava programado um treino de bike, mas Deus descansou nesse dia...e eu, idem.

Mas me recuperei um pouco do meu pessimo estado. Comentei com o Vinícius, que estou me sentido mal, inchado, a musculatura sensível, o intestino parou e parece que não tomo banho e não faço a barba a vários dias.

Entretanto, ao pesar, notei que o peso não se alterou nada e, um pouco mais de intensidade no final da seman (sobretudo sexta e sábado) mudou meu humor e tudo voltou ao normal...quer dizer, só minha impaciência continua alta.

Ai o Coach diz o seguinte....

O que acontece é que você ficou focado nos treinos por muito tempo, teve pouco descanso mental e físico, competiu Pirassununga, então tiramos Dezembro para recarregar as energias. E acredite, você está recarregando. Tenho certeza que já está subindo nas paredes com vontade de começar a treinar forte denovo, certo? Esse é exatamente o ponto. Você precisa dar um passo pra trás, para dar dois pra frente, com isso quando entrarmos na fase mais importante dos treinos pro IMB (Abril e Maio) ainda vai estar ZERADO e MOTIVADO. 

Além de tudo, ainda tem mudança hormonal, pois nos treinos você está em um processo de "quebrança", já na OFF-SEASON, muda pra "construir", isso tira muita energia.
 




domingo, 7 de dezembro de 2008

A transição perfeita...;-)))))))))

Semana de Treino

Na primeira semana de treino pós Pirassununga, mas a última com a minha antiga série de treinos, houve apenas um esforço leve, para reativar o sistema aeróbico e muscular. 

Talvez o mais puxado tenha sido na segunda, na aula de spinning. Sempre um treinamento difícil e senti um pouco o esforço.

Na terça, uma natação fácil, mas suficientemente para me deixar feliz com a técnica.

Quarta, descanso. Mas o último day-off nesse dia até o Iron. 

Quinta-feira, estava planejado uma corrida com subidas e descidas na rua, mas preferi realizar um treino de esteira porque estava ameçando chover. Alterei períodos de cinco a dez minutos com inclinações entre 5% e 8%.

Na sexta, sábado e domingo, descanso. 

Mas, confesso, está difícil segurar a vontade de treinar como na etapa Pré-Pirassununga.

Como o Vinícius, entretanto, vê ai a necessidade de descanso antes de pegar pesado para o Iron em maio, aproveito para dormir, dormir e dormir...





quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Você não fez um Ironmaaaaannnnn?

- E aí, foi para Pirassununga?
- Fui.
- Pô cara, dureza, hein! Aquele sol...
- Nem me fale...
- Mas quanto é? (sic!)
- 1,9 km de natação, 90 km de bike e 21 km de corrida...
- Pô, tudo isso?
- Pois é...
- É Ironman?
- Não, Ironman é o dobro.
- Então não é o IRONMAN? Você não fez o IRONMAAAAAAAN...
- Nã..não....
- Ahhhhh, então tá! Não é UM I-RON-MAN meeesmoooo?
- Não, mas...
- Um IRONMAN de verdade....
- Não...de certa forma...
- Então tá...tchau...

Meio-Iron é que nem vice-campeonato Se você fez dez, mas nenhum Iron, você
nunca foi nada...

domingo, 30 de novembro de 2008

Carú na Colombia


E você se acha corajoso!

Semana Pós-Pirassunga

Essa semana o coach me deu de presente para fazer o que quiser - até não treinar.

Ele me pediu para "desligar a tomada" e descansar mentalmente. De fato, as semanas que antecederam o Long Distance foram bem pesadas e na semana de lapidação não tivemos períodos de intensidade - poucos, é verdade. 

Mas é um pouco difícil de você se desligar de uma prova. Isso por pelo menos dois motivos:

Primeiro, porque você tem manter toda sua rede de relacionamentos atualizada via e-mails, blogos, orkut. Como os sítios vão soltando as coisas aos poucos (resultados e fotos), nós que fizemos a prova ficamos ligando um para o ouro para ficar "fofocando" sobre quem dançou, quem mandou bem, fulado que ganhava todas e ficou para trás...

O segundo, são as marcas que ficam no corpo depois de uma prova desse tipo. No meu caso, isso se resumiu a uma bolha no pé e as queimaduras nas costas, que não me deixaram dormir bem essa semana. Conversei com o Vinícius e ele me indicou pesquisar sobre a roupa utilizada pelo Sindballe e me deu indicações a partir do material usado pelo Luis Topan, atleta do Ironguides.
Para quem estiver interessado, vale a pena investir no material da Craft e o de compressão da 2xu. Além disso, os sites da http://www.stingray.com.au/ e http://www.uvline.com.br/ dispõe de roupas com proteção conta os rais solares.

Mas é importante dizer que não houve nenhum tipo de dor muscular e só não fui na academia na segunda-terça-quarta-quinta por uma questão de cuidado e pelas queimaduras. Na quinta-feira, fiquei com vontade de correr uma hora na rua, mas fiz isso apenas na sexta-feira. Tentei aproveitar as noites em casa para não fazer nada, apenas abusar da comida a noite. Mas controlei melhor o que comia durante o dia para não ganhar peso gratuitamente. E acho que deu certo, pois me pesei na sexta-feira e estava com menos de 87 quilos.

E sobre a prova, bem, a ficha mesmo caiu depois, pois os resultado foi muito bom para um primeiro longa e, principalmente, pelo fato de ter feito tudo com muita tranquilidade para terminar inteiro. Outra coisa que conta é experiência, pois a dinâmica desse tipo de prova é a superação - fazer a provas desse tipo visando a construção de resultado de forma agressiva é uma coisa apenas para os mais preparados, como diz o Vinícius. 

Nesse sentido, acho que vale uma observação que vi o Gary Gordon fazer sobre o Ironman e que também pode ser apropriado em provas de meio Iron, "O ritmo da prova de endurance como o Ironman é o seu próprio treinamento básico para a resistência de seu ritmo". 

Entretanto, para pessoas que fazem triathlon olimpicos, sprint ou  corridas de rua de 10 km, essa filosofia é difícil de assimilar, pois tendemos a achar que a intensidade é sempre sinônimo de um melhor resultado, quando não é

É compreensível que você entre na prova e ache que, ao desenvolver a prova em seu ritmo de treino, vai ficar aquém de um bom resultado, afinal, "treino, é treino" e "prova, é prova". Mas essa percepção é um equívoco e é, sim, possível ter bons resultados sem romper o equilíbrio entre ser competitivo e terminar bem uma competição de endurance. Entretanto, o segundo preceito antecede o primeiro, pois vale lembrar que só é competitivo quem termina a prova.

Talvez hoje eu compreenda melhor que a obtenção de resultados para provas multiesporte e de longa duração seja um processo de muito longo prazo, construída com milhares de pequenos tijolos, como quer o Vinícius. 

Você não luta para ser o mais rápido, mas para ter o ritmo mais rápido durante a maior parte do tempo....

 

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Long Distance Pirassununga

Correr o meu primeiro Long Distance em Pirassununga, terra da cana, é uma experiência difícil de se compartilhar.

Você passa cinco horas como um bóia-fria, mas que toma gel....

A semana do polimento é uma semana "estranha", em que eu não me sinto muito bem. O Vinícius já me disse que isso é normal. Só que agora foi um pouco pior, pois no spinning de quarta-feira, fraquinho, senti um pouco de enjôo. Na quinta, comi algo que me fez mal e vomitei pra cacete! Na sexta-feira, nadando na boa, de novo enjôo. Enfim, eu estava me sentindo meio estranho e a alimentação não foi das melhores...

Fui para Pira sábado, com o Marcelo, Chico e Daniel - esse último passeando com a gente e levando o carro. Um parênteses: quando tirei a bike do carro minutos antes da prova, percebemos que o bico da camera estava quebrado, mesmo depois de ter saído da revisão da oficina dois dias antes. O Daniel, que é craque, não deixou estressar - arrancou o pneu com os dentes e trocou a camera em dois segundos.

Acordei as 3 da manhã e não dormi mais. Como estava num quarto com mais quatro camaradas, fui tomar banho, ir no banheiro, ficar lendo...

Ai fui para a prova. Vamos a ela:

Na natação, você faz duas e como nadei fácil! Mesmo sem o neoprene, parecia que eu estava fazendo treino de volume com palmar. Não sentia meus braços fazendo força...só deslizava na água, pegando as esteiras aqui e ali.Só na segunda perna é que não foi legal, porque a mulherada veio de trás
e, cacete velho, tinha algumas querendo nadar debaixo do meu suvaco!!!! Não dá! Passou um sujeito que não tava nem ai, batendo a perna como um louco. Se pega em alguém, machuca. Por pouco, mas olha, por muito pouco, não tirei o chip da perna dele! Então a segunda volta não foi tão boa porque me desconcentrei, mas não fiquei cansado e sai para a transição correndo.

A bike, bom quem disse que aquilo lá é plano? E um vento lateral simplesmente absurdo numa reta enorme de um trecho descampado! Como eu tinha treinado no Riacho Grande, que tem um trajeto muito parecido, usei a mesma estratégia que uso lá. Relação pesada o tempo todo - coroão e, atrás, roldana menor. Notei que POUQUISSIMOS estavam pedalando como eu - tirando o Colucci (rs) que me pegou no começo da terceira volta e parecei pedalar em câmera lenta de tão pesado. Nos trechos mais difíceis, lembrei do Vinicius e fiz o que ele pediu - aprenda a descansar com marcha pesada a 60 rpms! Foi exatamente o que fiz. Nas subidas mais longas, eu voava com a essa cadência e passava muita, muita, gente. Era como se eu flutuasse sobre o chão. Parecia que eu estava em outra corrida.
Não exagerei, não fiz nenhuma rachinha e segui o ritmo que encaixava melhor - depois percebi que não dava para ser mais lento ou mais rápido. Foi natural. Além disso, tomei gel e gatorade e não senti cansaço, mas acabei a bike com um pouco de dor na lombar...

Na corrida, novamente, não senti as pernas presas no início. Nada! Sai com as passadas curtinhas, 92 rpms. Mas, sem sinalização de quilometragem, não consegui seguir a sua estratégia. Eu estava em um vôo cego! Apesar de me sentir, pelo menos no começo, "descansado", optei por correr os primeiros 10 km com o freio puxado. Quando passei dos 12 Km, ai o calor pegou forte e fui perdendo a fluidez. Algumas pessoas começaram a me passar, mas sempre que eu optava por abrir a passada, meu rendimento caia e era pior. Como eu iria lidar com aquilo? Ai, lembrei de um cara com a camisa do Iron no Riacho, fazendo um longão. Ele corria ereto, cabeça erguida, sem sofrimento e passadas curtas também. Ai, fiz como ele, porque além da técnica, eu também não iria perder a postura para sair legal nas fotos !!! (rs) E me lembrei que só tinha um objetivo - terminar a meia-maratona em menos de duas horas . Bom, mas depois que eu saí do canavial, aquela parte de terra, já na segunda perna, ai foi duro! Não quebrei, mas não tinha nenhum poder de reação para conter alguém ou força para dar um tiro...Foi a pior parte da prova, um sofrimento daqueles...só não perdi a pose! (rs)

Nessa parte, me questionei se realmente eu teria como fazer um Iron completo! Minha mente se encheu de dúvidas! Pensei como seria difícil, se realmente tenho condições físicas de conseguir alcançar isso. O lado escuro da força estava ali, me seduzindo! Quase debandei para o time do Darth Vader...

Terminei a corrida em 1:55, um tempo só um pouco superior a minha primeira meia, no pacaembú (1:50).

Um ponto que eu evoluí foi na hidratação: pegava dois copos em todos os postos, um para beber e outro para me molhar. Dica do Júlio, que me chamou a atenção no dia anterior na feirinha e já tinha competido lá. Entretanto, meu estômago estava com muito líquido e isso me incomodava demais - passei então a tomar água, mas não engolia.

O resultado final de prova inteira, foi até bom, porque, conversando com os meus amigos, eu achava que iria terminar em 5:30 (ou 5:40, já que há sempre as transições).

Mas eu tive penalidade (injusta!) e o resultado será de 5:23, porque foi acrescido 8 minutos.

Só que, na verdade, foi de 5:15. Bem acima das minhas expectativas.

Mas eu acho que o mais importante é como a prova toda foi feita condicionada pelo treinamento, desde da sensação de estar com um palmar na natação, passando pela cadência pesada na bike, até a corrida com passadas curtinhas.

Natação: 35.54
Bike: 2:44
Corrida: 1:55 ( mais 8 de punição) 2:03

Fiquei em 25 entre 62 na faixa etária 40-44 e 210 entre 432

Blogged with the Flock Browser

domingo, 16 de novembro de 2008

Semana de Treino

Na penúltima semana de treino antes de Pirassununga, um viagem intercalada entre terça e quarta para Recife, com carne de bode, camarão e cartola, dariam um fôlego extra para o longão de quinta.

Dariam....

Mas foi uma semana mais rodada que a anterior - 13 horas de treino e 160 km de rodagem.

Segunda-feira, um treino longo de natação uma hora de bike. Fiz pela manhã e comecei nadando. Mas nadei na raia que fica na borda da piscina e o treino, basicamente, era uma pirâmede de intensidade. Nadei com custo, pois não bastasse a dificuldade do treino, nadei com toda turbulência da piscina naquela área.  Na bike,  com 20 minutos fácil e 10 minutos fácil duas vezes, fiz indoor. De novo, a dificuldade desse tipo de treino, além do próprio esforço, é a forte desidratação. Sai realmente cansado.

Na terça não consegui correr em Recife e quarta foi minha volta.

Na quinta-feira, longo de uma hora e cinquenta minutos, o que me deu pouco mais de 16 km. Como sempre acontece, penei com as passadas tanto no período fácil como moderado. Muitas vezes, faço esse treino melhor na USP, depois de fazer a bike, do que correr sozinho no Campo de Marte.

Sexta-feira, aquele treino de spinning voltado para o cardio com o Danilo. Queima o peito esse treino de tão intenso. Na natação, pelo contrário, ritmo fácil na maior parte do tempo - foi revitalizante!

Sábado, treino no Riacho Grande com o Daniel e o Edú. Duas horas de bike e uma de corrida - sem problemas, principalmente na corrida, em que consigo melhor que os longos. O Edú trouxe a filmadora e rendeu um filminho.

Domingo, sem companhia, fiquei com desânimo de ir para a estrada e voltei para o Riacho Grande para fazer um treino de três horas, sendo apenas meia hora moderado - o resto, fácil. Mas, como há muitas elevações lá, as coisas são um pouco mais complicadas que isso. Sempre é um treino mais puxado - se você não se mata, já é um treino moderado.

Agora, essa semana é polimento - mas se eu achava que polimento é moleza, aquela coisa leve e agradável, quase como bater o pé na beira da piscina....pois bem, assim disse o Coach sobre polimento...

Média redução no volume: Prova longa é uma questão de condicionamento aeróbico, então precisamos manter um mínimo de volume para que você não perca condicionamento. Exceção claro dos 3 dias anteriores a prova.

Boa Redução de intensidade: é onde nosso descanso vai vir nosso
descanso. Os tiros fortes são curtos demais para te desgastar, mas vão
recrutar sua musculatura e ritmo de prova

Traduzindo: não tem moleza!




Blogged with the Flock Browser

Treino Riacho Grande - Direção Edú, Câmera, Daniel....

Embedded Video

Blogged with the Flock Browser

domingo, 9 de novembro de 2008

Semana de Treino

Semana começou com um treino de natação na segunda-feira que me deixou torto! Ainda cansado do pedal de domingo, fui para a piscina trabalhando intervalados de 300 metros, com períodos fáceis, moderados e difíceis. Foram mais de uma hora e meia de treino e fazendo mais 3 mil metros. Nos períodos difíceis eram incrivelmente duros - algo como se tivessem aberto um ralo da piscina e ele não me deixasse chegar na borda. Todavia, o treino de bike foi surpreendentemente...menos difícil (rs). Com um período de 40 minutos entre fácil e moderado, acho que alivei o ácido láctico e o cansaço, fazendo bons 10 minutos forte.
Na terça, corrida no Campo de Marte com a Yeda, com tiros de um minuto. Bom, treino de 11 km, apesar de não ter corrida uma unica vezinha mais rápido que aquela mulher! Mas como já ando acostumado a tomar pau da mulherada, nem dói mais....
Quarta-feira, um bom descanso, mas não me senti totalmente recuperado no longo de duas horas quinta. Apesar do tempo ótimo depois de vendaval em São Paulo, comecei o treino com dificuldade, que foi melhorando. Consegui correr de forma moderada a noventa passadas, assim como deslanchei nos dez minutos finais, que deveriam ser fortes. Corri 18 km.
Na sexta-feira, a aula de spinning era um aeróbio leve. Peguei uma bike ruim e tive que colocar carga - apesar de não ter cometido nenhuma loucura, quebrei no meio da aula. Mas isso não atrapalhou a natação, focada em volume com esforço moderado.
Sábado, ao invés da USP, fui para a runner. É incrivelmente difícil fazer bike indoor com duas horas, sobretudo considerando que há um violento processo de desidratação em lugares fechados. Como resultado, no final do treino quebrei novamente e quase não fui para a esteira correr - eu teria que fazer mais uma hora.
Mas depois de beber muita água, não estava passando bem e rolou uma forte indisposição. Simplesmente, não dava. Corri apenas vinte minutos e fui embora.
O pedal de domingo não aconteceu. Além do ficar com receio de me cansar na estrada mais que o indicado em razão do meu estado (o treino tinha quatro horas), teria que trabalhar em casa.
Amanhã, viajo, mas pretendo compensar nadando e fazendo o pedal pela manhã...

domingo, 2 de novembro de 2008

Semana de Treino

Nessa semana de treino, a última de outubro, algumas coisas foram se definindo para Pirassununga, com treinos com mais volume e intensidade variada, simulando a prova.

Entretanto, a série de treinos quinta-sexta-sábado-domingo foi difícil. As vezes, você vai dormir e diz: amanhã, não vai dar, minhas pernas já eram.

Mas você levanta, começa a treinar e...não é que deu?

Só que amanhã, não! Amanhã, não dá!

E a história se repete...

Essa semana, foram 13:38 de treino e 195 km rodados...

Na segunda-feira, foram 3 km de natação, com esforço diferenciado a cada 750 metros. O que eu gostei foi que, na parte forte e já cansado, fiz 750 em 16 minutos - em bom tempo considerando tudo. Na bike, a diferença foram 15 minutos fortes, que fiz pesado, mas sem grandes problemas.

Na terça, treino de esteira, sendo 1,6 km moderado e 400 metros leve, cinco vezes. Ou seja, 10 km. Como sempre, meu moderado é moderado-forte, me concentrei nas passadas e na velocidade - saio lavado desses treinos.

Depois de day-off de quarta, fiz um longo de duas horas: 1 hora fácil, 40 moderado, 10 forte e 10 fraco. Em relação as passadas, tanto na fase fácil, como moderada, me concentrei em 90 passadas - nem mais, nem menos. Na parte forte, acelerei com passadas curtas e maior frequência de passos. A parte boa foi que completei quase 20 km (estava fazendo 16 km) e a ruim é que senti o cansaço da musculatura da perna, dado que correr forte exigiu um pouco das fibras que normalmente não são exigidas nos treinos de volume.

Com as pernas pesadas, fui treinar sexta-feira e a aula de spinning foi pesadissima, com sempre. Entretanto, esqueci a dor e consegui fazer o treino como se no dia anterior não tivesse corrido tanto. Mas sai com as pernas como chumbo. Fui nadar, 2,4 Km, basicamente volume, com palmar e pulbóia.

Jurava que sábado não era possível. Sentia muito a musculatura do esforço de quinta e sexta e seria justificável pular sábado.

Mas se você tem amigos e eles gostam de correr e pedalar....

Bom, sempre aparece um animado para pedalar no sábado pela manhã. No meu caso, além do Edú, dessa vez tinham o Chico e o Tiago! Ai, quem resiste? Vamos lá!

Menos de sete horas depois de ter feito aquela aula de spinning e ter nadado, 6:30 já estava na USP para duas horas de bike, sendo uma hora fácil, 50 minutos moderado e 10 minutos forte. O Vinícius queria esses 10 minutos fortes para sair para a corrida com as pernas cansadas.

Eu tentei, mas não senti cansaço que esperava sentir. Sai para correr, fazendo 20 minutos com 90 passada, mais 20 com 96 (que consegui apenas uma parte, porque estava com dificuldade para me concentrar o suficiente) e mais 10 forte. Nesse dez fortes, me passa uma loira...bom, fui atrás da moça, mas ela voava! Nem deu! De bom, ficou que o forte foi realmente muuuuito forte! No final, deu apenas para trotar.

Passei o sábado com as pernas totalmente travadas. Domingo? Não, domingo nem Edú, Tiago e Chico poderiam treinar e, com as minhas pernas do jeito que estavam, não iria rolar...desculpa, mas impossível.

Quando tudo parecia redondinho para dormir até tarde, me liga o Daniel, que não foi na USP no sábado e estava cheio de vontade para pedalar na Bandeirantes. Ponderei que todo mundo estava falando em chuva. Mas ele não tava nem aí para chuva!

Levantei as 5: 00, olhei para o céu...alguma chuvinha no domingo? Não, nada. As 7:00 saiamos do Rei da Pamonha, fomos até o Hopi Hari e voltamos - 100 Km, mas o ritmo foi mais intenso do que eu e ele esperávamos ( só não deu para fazer 3:45 de volume como o Vinícius queria,
mas 3:20). Cheguei sentindo o esforço...

Eu sei que não foi isso, mas não parece que eles combinaram?

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Semana de Treino

Com a volta do pedal domingo, uma semana com uma quilometragem bem maior que as semanas anteriores. O ponto negativo ficou por conta da impossibilidade do longão de quinta, dada a tempestade em São Paulo.

Na segunda, o treino de natação da segunda-feira foi relativamente curto, menos de um hora - mas com 2,4 km progressivos divididos em percurso de 200 metros. Nada complicado. A bike, por sua vez, 1:10, sendo 40 minutos intercambiando períodos de 5 minutos fortes e fracos - os períodos mais intensos são de matar.

Na terça, uma hora de esteira, com progressivo a cada 15 minutos. Por conta da falta de esteiras da Runner, tive que dar algumas paradas no treino para mudar de equipamento e, no período forte, fiz 11 ao invés de 15 minutos. De qualquer forma, treino puxado, com ênfase nas passadas e na velocidade.

Quarta, day-off.

Quinta-feira, dia longo. Mas impossível, a chuva foi impressionante e alagou algumas ruas aqui em volta.

Sexta-feira, treino de spinning com Danilo. Gosto desses treinos que exigem muito do sistema cardiovascular. Complementei com 40 minutos de natação, intervalando 10 minutos fáceis e moderados, que seriam relativamente fáceis, não fosse o esforço que fiz anteriormente na aula de bike.

Sábado, ótimo treino de 2 horas de bike. Na primeira hora, pedalei fácil com o Edú e o Daniel, depois, na hora seguinte, fui em ritmo mais moderado - como o Daniel estava junto, excelente para manter o ritmo. Na corrida de uma hora, não consegui manter 96 passadas...não sei o que acontecia, mas não estava legal - mas nos últimos 10 minutos, consegui correr forte, com mais de 90 passadas por minuto. Foi um ótimo treino.

Domingo, giro de 3 horas na estrada (Bandeirantes) com o Tiago. Deveria ter pedalado mais meia hora e puxado uma hora em esforço mais moderado, mas foi bom voltar a pedalar esse volume depois de mais de dois meses sem ir para lá.

Em resumo, 10:15 de treino e 144 km de rodagem.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Semana de Treino

Essa semana foi tranquila, mas treinei pouco. Apenas segunda, quinta e sábado...

Segunda, eu tava cansado, mas fiz o treino. Na terça, eu não estava legal e emendei com o Day-off de quarta. Aproveitei para repor as energias...

O longão de quinta foi punk, porque a temperatura caiu dos 29 de manhã para os 13 graus a noite. Corri na garoa, muito chato. Embora tenha me deixado um pouco cansado no dia seguinte, fiz o longo de de duas horas.

Sexta-feira comi algo que não me fez bem e fiquei em casa. Ia fazer aula de spinning e nadar com o pessoal, só que fiquei enjoado...

Sabadão, cara, chuva. Fui para a Runner e fiz duas horas de bike indoor e a corrida na esteira. Na esteira foi muito legal, você pediu 90, mas eu fiz 93 e, ao invés de 20 minutos em 96, fiz 100 passadas por minuto.

Agora o difícil é correr com menos de 93 passadas! ;-))))

Mas foi muito natural. A primeira meia-hora foi puro descanso...Aqueles vinte mais puxados já exigiu um pouquinho.

Domingo, chuva! Tô super preocupado porque não consigo fazer os treinos de volume no final de
semana - tirando o simulado de domingo passado, faz tempo que não treino domingo (e, só para lembrar, estava choveu pacas no simulado!)

É um saco, porque até na neve dá para pedalar, mas na chuva....

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Simulado do Meio-Iron

Tem certas coisas que você faz na vida que....bem, se você é capaz de fazer aquilo, você faz qualquer coisa....

Domingo, meu primeiro simulado no Riacho-Grande. Distância, 1.500 metros de natação ,80 de bike e 15 de corrida (mas que, a pedido do Vinícius, foram 10).

Depois de ter feito 20 Km em duas horas na USP no sábado, levantei as cinco da madrugada no domingo para ir para a Billings.

Se pudesse resumir o clima, diria: frio, chuva E VENTO!

Algumas pessoas bacanas esperando conversando, puxando o assunto, muitos iniciantes...enfim, até estranhei, porque tem nêgo do Triathlon que é um nojo de arrogância. E não são poucos....

Mas por um triz eu não desisti! Mas, é aquela história...too cold, too isso, aquilo (é, por incrível que pareça, essa lavagem cerebral...ops...digo, motivacional....realmente dá certo ).

Falei com o Júlio sobre a conveniência de se nadar ou não. Ele é organizador do simulado e super gente boa! Ele nem pestaneou! Mas é claro!!!!! Vai lá e nada!

Bom, depois dessa...

Pulei na água as 7:30. Nadei 1.500 e fiz 31 minutos. Nada brilhante, mas um pouco melhor que a USP e adorei nadar na represa!

Sai a água, coloquei o manguito e lembrei o Chico tentanto colocar as luvas com a mão molhada! Realmente, não entra!!!! Sequei o braço e coloquei. E funciona! Não senti frio nenhum nos braços e minha roupa, mesmo encharcada, me isolava do vento!

O Vinícius pediu para fazer o simulado em ritmo de treino. Pensei, mas que ritmo de treino especifamente? Esqueci de perguntar!

Bom, sabe como é, né? Fiz FORTE! Coroão e 80 km batendo contra a chuva - como doía aqueles pingos te acertando o rosto! E, mais, a altimetria é muuuuiiitoooo ingrata! E o vento estava de frente justamente quando a gente fazia a volta, que só tem subida!

Quando comecei, achei que estava colocando o treino em risco, pois talvez não agüentasse o ritmo. Já estava preparando o discurso para o Vinícius, dizendo que tinha feito bobagem. Afinal, treino não é competição...

Só que fiz os primeiros 48 Km exatamente no mesmo ritmo, caindo um pouco no quarta volta e um pouco mais na última. Não senti absolutamente nada nas pernas!!! Fiz uma média de 29 km/hora, pedalando forte forte forte - obviamente, me lembrando da prova de bike do Havai, um dia antes!!! (rs)

Apesar de não ter chegado nem a 30 km/hora, achei 29 de média bom, pois naquelas subidas, com vento e chuva! Putz, terminei a bike e 2:28!

Ai fui correr e, cara, MINHAS PERNAS ESTAVAM SOLTAS! A sensação fantástica! E com passadas curtas, entre 94 e 96 por minuto o tempo todo, fiz em menos de 49 minutos (só dei uma acelerada, com a passada um poquinho mais aberta, no sprint final)! Considerando que o terreno tinha subidas e descidas longas, foi bem legal!

Bom, fiquei feliz também porque terminei o simulado quando começava a fraquejar! O Vinícius parece ter pressentido isso quando me pediu para correr 10 km e não os 15 previstos

Terminei o treino inteiro, e me senti ótimo no restante do dia!

Mas, teve um ponto negativo, porque eu não consegui cumprir o planejado em relação a alimentação!

Quando terminei a natação, tomei um gel. Na bike, o Vinicius queria que eu levasse quatro caramanholas, mas levei duas, porque não tinha onde colocara as garrafas (é, desculpa esfarrapada, eu sei, eu sei...mas preciso ver isso) e tinha pontos de hidratação no caminho. Pensei, qualquer coisa eu paro e reabasteço...

Mas tomei apenas 600 ml de água com Glicodry na bike (duas porções, o que equivale a 237 Kcal) e nem usei a outra garrafinha com água que estava no quadro! Juro para você que fiquei satisfeito apenas com uma garrafinha, mas sei que em Pirassununga não vai ser assim e que o negócio é punk...

Na corrida, tomei gatorade antes de começar, um gel e outro copinho de gatorade.

Enfim, agora os treinamentos vão estar focados em volume. Espero manter o desempenho da bike, correndo forte, mas me sentido descansado, e conseguir me preservar para a corrida em Pirassunga.


domingo, 5 de outubro de 2008

Semana de Treino

Boa semana de treino, em que vale destacar o treino de sábado, na USP

Na segunda-feira, a natação foi tentativa de homicídio (rs).  Fiz o treino todo mas no final eu nadava só de teimosia!  Nadar  8 vezes 3 tiros de 100 metros com apenas 10 segundos de intervalo é punk! Na bike, o Vinícius pediu para nadar até sair com a perna bamba...bom, eu não tô me gabando não, mas estão para inventar uma bike para me deixar assim! (rs) . Eu deixei a carga muuuitoooo pesada, mas não acontece nada! Eu vou pedalando, pedalando, pedalando....Claro, muito diferente são os treinos tipo contra-relógio, que jogam minha frequência lá em cima! No fundo, isso aponta que o chassi tá melhor que o motor!

Na terça-feira, treinei apenas 40 minutos, pois tive que sair da esteira para dar lugar a outra pessoa. Fiz 93 passadas em velocidade moderada (11,5 km/hora).

Na quarta-feira, day-off.

Na quinta-feira, o longão. Muito fácil, em média 93 passadas no fácil e 92 no moderado. Tentei abrir um pouquinho a passada no moderado sem perder a frequência acima de 90. Não teve tanto ganho como pensei em termos de velocidade...Mas foi menos estressante que semana passada.

Na sexta-feira, eu senti o acúmulo de ácido láctico nas pernas e estava cansado. Mas, logo no começo do spinning, o cansaço foi embora. Depois, nadei os 3 km com pulbóia e palmar, sendo que só senti um pouco e fiquei fora do tempo apenas nos últimos 400 metros.

No sábado, fui cedissimo para a USP. Na bike, coroão o tempo todo e fiz 1 hora fácil e 40 moderado. Tranquilo. A corrida, conforme o mestre pediu, 90 passadas vinte minutos e 96 durante mais vinte. Sobre esse treino, algumas coisas: a) nem precisava dos 10 minutos finais fácil, porque correr assim não demanda esforço - é um "passeio"!!!; b) Mas é um "passeio" que me agradou mais porque, diferentemente de quinta-feira, o pace na USP é sempre mais baixo e consigo atingir uma velocidade bem superior se comparada com o longo de quinta! Talvez seja o fato de eu marcar alguém e correr atrás - o outro ajuda no ritmo e me concentro nas passadas ; c) Eu não sinto mais dores musculares e a mecânica para correr com 96 passadas tá assimilada, embora eu não esperava que isso acontecesse tão rápido (certamente, em função dos treinos de esteira...)

Novamente, chuva no domingo e dia de eleição. Day-off involuntário....

domingo, 28 de setembro de 2008

Semana de Treino

Bom, acho que essa semana poderia ser Semana do Stress por conta de quinta!

Mas vamos lá, por partes:

Segunda-feira, não foi difícil nadar os 100 metros e não tive desgaste forte. No treino de bike, eu puxei bastante o forte - mas, na bike indoor, o que se entende por ritmo de prova é bem diferente em relação a forma como se pedala na rua. Indoor, é muito mais difícil! Assim, pedalei com uma carga pesada no
moderado e, como a mesma carga, acelerei nos três minutos que seriam, teóricamente, de ritmo de prova, mas não era, porque em ritmo de prova seria mais leve.

Na terça, treino de esteira. Putz, peguei uma porcaria de esteira que balançava pra cacete! Um horror, mas fiz o treino, começando pelo fraco, porque não consigo ir direto pelo forte: 93 passadas no fácil, 95 no moderado e coisa entre 99 e 100 no forte. Entretanto, nos últimos 5 minutos fortes, foi
para 95 passadas, porque minha perna começou a doer. Depois de 24 horas, passou.

Quarta, ufáááááá...

Quinta, morri de raiva! Muito sinceramente, correr 1 hora com 93 passadas no fácil está me levando a loucura de tão lento que eu fico! É quase como marcha atlética!!!! Parece que não tem impacto nenhum em nada. Do ponto de vista aeróbio, é um troço que nem conta e, muscular, agora também não. Fico na rua correndo no vento, puta frio e quase duas horas para fazer menos de 15 Km! No moderado eu não sabia o que fazer! Abria a passada ou tentava aumentar o número de passos? Você deve falar - aumenta o número de passos! Só que, se eu faço isso, fico mais lento, com a impressão que estou correndo freneticamente no mesmo lugar!  Foi tão estressante, que tirei o tênis e taquei no murão do Campo de Marte! Ainda bem que eu não tenho que fazer esse tipo de treino com bike!!! Imagina o tamanho do prejúizo...;-)))))

Mas um adendo: depois que assisti a Maratona de Berlim, achei impressionante a cadência da alemã
Irina Mikitenko e a eficiência....Realmente, esse assunto é complicado!

Ai sexta-feira fiz o treino de spinning que foi glicóse anaeróbia de curta e média duração. Dureza! A piscina, foi tranquilo, sendo basicamente um treino de volume com pulbóia e palmar.

No sábado, tive insônia e não dava para ir para USP cedinho, como eu gosto. Como alternativa, fui para a runner um pouco mais tarde. Fiz 1:30 de bike indoor e fui correr na rua para fazer os 50 minutos. Passadas curtas sempre (eu reclamo mas eu faço), mas ainda estou tão irritado que nem contei porque se desse menos de 90 eu iria ficar estressado de novo.

No domingo, aquela chuva novamente...tá difícil pedalar quatro vezes por semana!

Como funciona do corpo em uma corrida....

Embedded Video

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

O Chico no 70.3 - II Parte


Vai ai a parte final...

cheguei no local da prova com a minha sacolinha de nataçao....

primeira coisa que fiz foi dar uma olhada na bike.. ver se tava tudo sob controle (pneus cheios.... cambio, etc.... fiz o que minha limitaçao me permitia... troquei marcha, testei os freios, etc.. tudo certinho...). Aí, coloquei a sapatilha com as meias dentro e desci pra me trocar... por a roupa de borracha, colocar o gps pra funcionar, etc...

aí coloquei o gps no braço, coloquei a roupa de borracha por cima e pra ficar mais bonitinho, deixei o chip (que tava no tornozelo D) pra fora da roupa de borracha...
reconheci o terreno... aí saí pra aquecer um pouco.... depois me posicionei de tal maneira que o pessoal nao me atrapalhase muito, ou seja, fiquei bem atras e do lado esquerdo da largada .. pelo trajeto iriamos até o funil demarcado por 2 boias... e depois para a direita...
cara... imagina quase 600 neguinho largando juntos... (pelas fotos nao identificadas vc tem noçao)... aí fui na boa... no meu ritmo e memso assim... fui pegando em pé de gente.. gente pegando no meu pé... dando cotovelada... enfim.. uma bosta... e nao tinha jeito pois eu tava bem no meio da muvuca.. aí eu fui procurando brecha... quando via uma, apressava o nado pra ocupar o espaço e foi assim até cruzar a boia da direita... aí so depois dessa boia (300m até o funil + 400m até contornar a boia da direita) é que consegui nadar.. e era engraçado pois eu sai de uma muvuca... nadava sozinho e depois lá tava eu no meio da proxima muvuca.. aí atravessa a muvuca.. nadava sozinho novamente e lá tava eu em mais uma outra.. e foi assim aprova toda... passando o pessoal... nadando beemmm confortavel, sem me preocupar muito com o tempo... mas resando pra nao estourar os meus propositos...
quando passei pelo tapete, marquei o tempo e aí vi que tinha feito em menos tempo que o meu programado... aí peguei minha sacola de bike e fui pra tenda me trocar... putz... começou meu pesadelo... quase 7mim...

tirei a roupa de borracha sem problemas ... com exceção da perna direita aonde tava o chip... lembra que o trouxa fez??? pois é.. deixei ele pra fora da roupa e pra tirar aperna e passar por ele foi um sufoco, cara.... assim, teria sido melhor ter deixando o chip protegido pela roupa de borracha, enfim... tarde demais..
depois, coloquei a bermuda de ciclismo por cima da bermuda que iria utilizar pra correr (pedalei com 2 bermudas) .. dpeois foi a vez do capacete e do oculos.. esses sem problemas.... depois coloquei o cinto com o numero..sem problemas e aí resolvi por as luvas.. cara.. mao molhada naquela luva nao entrava.. embolava inteira... aí eu tirava, colocava novamente aí entrava 2 dedos no mesmo orificio dos dedos.. putz.... mais eu tava preocupado se eu caisse e ferrasse a mao assim insiti... e perdi um puta tempo com isso... depois disso... pra piorar as coisas.... tinha que colocar a roupa de borracha dentro da sacola d ebike.. quem diss eque aquela porra de roupa entrava dentro da sacola???? pois é... mais tempo perdido.... depois me toquei que abrir toda a abertura da sacola e mais.. ter embolado melhor a roupa de borracha mas aí ja era tarde.... primeiro foi tentativa e erro... e so depois do erro foi que acertei .... (teria sido só uma tentativa e acerto se tivesse me atendado aos detalhes...) enfim... depois disso tudo... fui correndo até a bike... coloquei as meias e a sapatilha bem rapidinho.. peguei a bike e pasme...
os primeiros 170m de bike era em paralelepipedo... pois é.. o prefeito se comprometeu em asfaltar o pedaço, ma snao fez.. eu decidi pedalar bem devagarinho .mas depois soube que teve gente que furou peneu logo alí na largada, e tbem tinha gente carregando a bike.. enfim.. achei que a melhor opçao era pedalar bem devagarinho olhando pra onde passava a roda pra evitar surpresas... deu certo... aí depois foi só pedalar..

vi que o gps tava funcionando, marcando a vel... a fc tbem tava mas nem fiquei olhando (depois foi que vi que a fc nao gravou nada só as fc de chegada em cada lap..por isso nao tive media d enada.. ou seja.. durante o pedal eu nao faço ideia da fc...

A bike aconteceu sem problemas... o trajeto tinha algumas curvas bem fechadas e eles pediam pra diminuir o ritmo e era em dois desses pontos que els abasteciam (agua, gatorade, frutas, bisnaguinha, etc..) .. primeira volta fiz bem... me segurei pra nao forçar e fiz bem tranquilo.... fiz isso até a terceira volta quando resolvi diminuir o ritmo pra nao pagar um preço mais caro na corrida... mas na ultima volta eu voltei ao ritmo.... achei que 5 voltas no mesmo circuito pra cabeça é complicado... sabe..4 voltas seria na medida... a terceira nao chega.. aí depois dela vc pensa que é a penultima (e nao a quarta) e depois a ultima e normalmente vc pedala mais na ultima... mas devo admitir que os treinos longos realizados na usp me ajudaram nesse ponto...
anexei as parciais do site do iron man lá eles davam momento a momento o andamento da prova... até que pedalei dirieitnho... com exceçao da penultima que caí pra abaixo de 30. as demais forams acima de 33km/h de media....
quando desci da bike... tava inteiro.... bem mais inteiro que quando desci da bike em santos (disso eu me lembro)...
aí uma pessoa pegou minha bike e no caminho até até a tenda de troca, eu peguei minha sacola de corrida e fui pra tenda me trocar...
lá peguei o tennis tirei a meia que tava dentro (nao troquei de meia.. usei a mesma que usei no pedal).. virei o numero pra frente e fui pra fora da area e proveitei pra mijar... lá to eu abaixando a bermuda.. putz.... esqueci d etirar a berbuda extra de ciclismo que coloquei pra pedalar.... nao deu outra... entrei novamente na tenda de troca.. procurei minha sacola no meio do monte de sacola que estavam num canto (a gente usava a sacola, fechava e jogava nessa pilha..) tirei a bermuda e guardei na sacola... enfim.. só depois disso voltei pra correr..
nessa transiçao gastei menos de 4mim... mas poderia ter sido menos se nao tivesse que tirar a bermuda e fazer o pipi stop (mas esse foi necessarios e ahco que smepre será..)...
A corrida... eu inicei dentro dos meus objetivos... 5:30mim/km... mantive isso até o km 3.. aí resolvi maneirar... lembrei que eram 21km e resolvi ir pra 6mim/km... mas cara.. as subidas correndo pegavam (eram a smesmas da bike).. aí nas subidas e nas paradas pra peber algo (diminuia o ritmo, ma snao andava) meu ritmo ia pra quase 7mim/km.. aí meu tmepo final foi de 2h e 10mim.. mas cheguei inteiro.. e fiz o percurso inteiro brincando... cada vez que alguem d aminha categoria me ultrapassava eu brincava com a pessoal...

eu estranhei.. mas como a briga era comigo memso... nao tava nem aí pra quem tava me passando... nem me preocupava em acompanhar o ritmo das pessoas.. tava mais no meu... e olha...
nao pegou nada... nem joelho.. nem musculatura.... cheguei inteiro na linha de chegada.... nem eu acreditei...
enfim... depois que passei pelo cronometro de chegada... foi só diversao....
nao abri mao da massagem.... (essa foi a melhor parte e cara, faz diferença... depois dela eu era outro cara.... impressionante... )

bem... esse foi um resumo bem detalhado do que aconteceu na prova.... como disse..
sou prolixo mas acho que era isso que vc queria saber....

alimentaçao/hidrataçao.... essas nao me descuidei nem um pouco.... e acho que isso ajudou ao meu desempenho...

meu balanço da prova seria o seguinte...

nadar com gps: nem pensar... senti que o braço aond eele estava pegou mais que o outro (a memsa historia do podometro na corrida..lembra....?)
transiçoes.... pensar, pensar, pensar.. mentalizar como seria a melhor maneira de faze-la e achar que dobrar uma roupa antes de guardar é perda d etempo.... pode ser exatamente o oposto... (o que acotneceu com minha roupa de borracha)...
luvas: acho necessaria...mas tem de experimentar/praticar e escolher uma onde a mao molhada nao interfira na colocaçao dela...
bermuda extra pra pedalar: acho que pode ser dispensada.... mas nao to 100% convencido (acho que 90km tudo bem.. mas 180km...nem pensar..)...
meia + sapatilha.... acho que se a saptilha é legal nao precisa.... mas se vc pensa em correr com meia... melhor colocar agora que mais tarde (a perna ta mais tranquila pra vc se abaixar e colocar a meia... mesmo tendo cadeira pra sentar (fiz tudo em pé...)..

bem... nao sei se esqueci de algo.. enfim... esse foi o resumo de 5h e 45mim de minha vida..he, he, he....

Blogged with the Flock Browser

O Chico no Iron 70.3 - I Parte

Vai ai uma descrição detalhada da participação do Chico no 70.3.


Bem.. resolvir ir a Penha de carro.... sabe como é.. transporte de bike é um pe no saco... saí na sexta, logo cedo e cheguei lá por volta das 13:30H... tempo uma merda.. chovia fininho... garoava... tava frio, enfim... e isso persitiu até o sabado à tarde, ou seja... nao deu nem pra entrar na agua (muito gelada), nem pra correr ou pra pedalar (e o pior, é aempre tinha uns loucos fazendo isso... pode acreditar).... O colega, o Beto, tinha ido na vespera e ele tinha conseguido pedalar no percurso da prova e tinha me mandado um torpedo dizendo que as subidas eram tranquilas.... e realmente, quando cheguei pela rodovia beto carreiro, aquelas subidinhas que tinham no trajeto da bike eram bem mais amenas que aparentavam o desenho...
enfim... ja fiquei mais tranquilo, apesar de não poder ter pedalado no trajeto antes da prova...

o congresso tecnico foi no dia seguinte, no sabado à tarde.... pela manha ja tinha ido pegar o kit e tentado me organizar com aquelas sacolas... eram 3. Na entrega do kit, o carinha que tava dando orientaçao sacou que eu era marinheiro d eprimeira viagem e falou pelos cotovelos, explicando tudo....
Das 3 sacolas, uma era pra nataçao, outra pra ciclismo e a outra pra bike... bem organizado, ou seja.... vc tinha que devolver as sacolas de bike e de corrida juntamente com a bike na vespera da prova durante o check in....
aí vc ja viu... mentalizar o que colocar em cada sacola.. o que usar na prova, sem nem mesmo saber como estaria o tempo... a ordem de organizar as coisas dentro da sacola pra tentar nao perder tempo nas transiçoes... enfim... tentei organizar as minhas da melhor maneira funcional possivel...
a de bike, por exemplo, deixei o capacete com o oculos enfiado (conforme orientaçao previa.. he, he, he) bem no fundo e por cima a roupa que iria usar (a bermuda de ciclismo com alcochoado no fundo.... e tbem uma calça comprida de ciclismo - dependendo do tempo iria esoclher uma ou outra) e a sapatilha (com a meia enfiada dentro dela) em primeiro plano... a de corrida, mais tranquila... so alimentaçao, uma toalha umida, tenis (com meia enfiada dentro) e uma camiseta, caso quizesse trocar de roupa... e assim .. lá fui eu pra fila do check in com as minhas sacolas e a bike....
na fila a mulher já falou pro beto que tava logo na minha frente.. tem que colocar o capacete na cabeça e afivelar... bem.... pelo detalhe acima já viu né.... fudeu.... tive que tirar tudo da sacola... tinha arrumado tudo na ordem de uso..mentalizado a transiçao e tudo o mais e depois.. ja no check in tive que desfazer tudo pra tirar a bagaça do capacete e por na cabeça (ninguem tinha me avisado disso... se nao..ja teria entrado no check in com ele na cabeça... ah... tinha uma etiqueta que tinhamos que grudar no capacete.. essa etiqueta era seu numero de peito).. eles tbem deram etiquetas extras, caso que quizesse identificar alguma coisa.... tipo sapatilha, oculos, etc... assim, seria mais facil identificar depois, caso vc deixasse ele fora da sua sacola ...
depois disso, de passar pela fila... entreguei a bike aí eles fotografaram a bike, checaram peneus, freios, etc... puzeram a plaquinha de identificação na bike e me mostraram o local pra pendurar minhas duas sacolas.. depois que fiz isso, uma pessoa me acompanhou e me mostrou o trajeto que eu faria ao sair da água e fomos andando eu a pessoa e a minha bike até onde eu deixaria ela definitivamente me esperarando para o dia seguinte.... lá eu vi que o lugar era aberto... que as bikes iam passar a noite no relento.... aí ja viu... né.. ao olhar ao redor vi que algumas tavam cobertas, outras com sacos plasticos nas partes mais sensiveis.. tipo guidao, pedal (com sapatilha clipada), etc... aí ja viu.. ja era tarde pois eu nao tinha saco pra fazer isso e nem taopouco levei capa pra cobri-la... ela ficou mesmo no relento.. mas tranquilo...
aí, depois disso.. nao fiz mais nada.. saí pra comer uma massa e fiquei com o Beto e os pais dele até umas 21h quando pro meu hotel dormir...
por incrivel que pareça.. dormir tranquilo, acordei antes do tmepo programado... fiz minhas necessidades... tomei café... voltei pro quarto fiz mais necessidades.... coloquei a roupa.. tirei, fui no banheiro mais uma vez... he, he, he... pois é negao.. isso porque eu tava tranquilo... nunca tinha ido ao banho fazer numero 2 3X seguidas... ha; ha, ha..
aí coloquei minha roupa que iria correr (bermuda, topo, meia e chinela) e levei na minha sacola d enataçao a minha roupa de borracha (identificada... era obrigatoria, eles deram uma etiqueta pra isso)... o dia tava maravilhoso.. tudo sequinho.. o sol ja aparecia tava frio, mas muito agradavel... fiqeui surpreso... enfim...
aí pensei que a calça comprida de bike na minha sacola de bike era perfeitmanete dispensada..mas enfim.. ja tava la...
fui até o hotel do beto e fomos juntos pra prova... ele acorodu as 2h da madrugada e nao cosneguia mais dormir...

Blogged with the Flock Browser

domingo, 21 de setembro de 2008

Semana de Treino

Essa semana, acho que cumpri todos os objetivos traçados pelo Vinícius, a não ser quinta-feira, porque um amigo candidato a sardinha foi comigo e, bom, muita conversa convera entre sardinha e golfinho é muito prolixa...

Na segunda, achei o treino de natação mais fácil, pois já tinha nadado 300 metros forte na anterior. Nadar 100 foi bem mais tranquilo. Na bike, a parte principal do treino era pedalar forte 30 minutos - sem problemas.

Terça-feira, treino de esteira, com inclinação variável. O objetivo era descansar em ritmo moderado no plano depois de um esforço mais forte com a esteira inclinada. Sai lavado do treino de tanto suor, mas também foi fácil, sobretudo porque quando eu corria com passadas curtas no plano a recuperação era rápida e o esforço moderado. Enfim, foi um variação muito interessante, mas nada complicada de fazer.

Quarta-feira entrou um frente fria e deu uma fome do cão a noite! Comi macarrrão integral que me faz muito bem!

Quinta, o longão. A média era de 90 passadas, pois correr para 93 eu tenho que me concentrar um pouco. Agora, em termos de esforço, correr 1:40 tá fácil.

Sexta-feira, o spinning foi basicamente voltado para o anaeróbio de curta e média duração.
Dói...como dói! Na piscina, a água estava a 27 graus e, como tá frio, quase não treinei...Ai lembrei...too coold...putz ;-)))). Ai entrei na água e fiz o treino, com palmar e pulbóia. Achei fácil.

Sábado, treinei com o Edú na USP. Fui no coroão o tempo todo e ele, como tá com um muito gás, puxou um pouquinho. No fim, em vez de uma hora fácil e meia moderado foi tudo moderado...Na corrida, era para correr leve, mas emendei nas passadas e ficou um treino também mais moderado - mas gostei muito de um teste! CONSEGUI CORRER A 96 PASSADAS!!!!! Foram uns 10 minutos, mas nem eu acreditei porque eu só conseguia algo assim na esteira, nunca na rua.

domingo, chuva. Impossível pedalar. Aproveitei para dormir mais (e comer mais também..)

Well, acho que essa semana o Vinícius pegou um pouco mais leve...quero ver o que
virá!!!
Blogged with the Flock Browser

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Valeu Chico!!!



EventoIRONMAN BRASIL 70.3
Número de peito724
SexoM
CategoriaM4549
Equipe
Tempo Final05:45:07.45
MODALIDADEIRON MAN 70.3
PaisBRA
ClassificacaoGeral409
ClassificacaoCategoria36
TempoNatacao00:36:49.30
ClassificacaoGeralNat386
ClassificacaoCategoriaNat33
TempoBike02:57:43.60
ClassificacaoGeralBike336
ClassificacaoCategoriaBike26
TempoCorrida02:10:34.55
ClassificacaoGeralCorrida462
ClassificacaoCategoriaCorrida41
Blogged with the Flock Browser

domingo, 14 de setembro de 2008

Semana de Treino

 Ótima  semana de treino.

 Só fiquei meio assim com o treino de quinta, o longo de rua. Não sei se dei DOIS PASSOS PARA FRENTE E UM PARA TRÁS OU UM PASSO PARA TRÁS E DOIS PARA FRENTE...

 Segunda, a natação foi uma beleza, principalmente com os tiros de trezentos metros. Encaixei melhor a respiração e foi um belo exercício para os braços, que suportaram bem o esforço. Nadei forte! No spinning, as pernas estavam ótimas também e fiz os ciclos três minutos muito forte, conseguindo elevar meu esforço cardíaco no limite.

 Na terça, corrida na esteira para melhorar a técnica de corrida: 90 passadas na fase fácil, 93/94 na moderada e 99/100 na forte. Já consigo fazer sem dificuldades...

 Quarta, relax em casa.

 Quinta...pois é, quinta foi o seguinte. Trabalhei muitos as passadas e durante toda a fase fácil consegui chegar a 93 PASSADAS POR MINUTO!!!!! E foi super regular! A princípio, fiquei muito feliz...

Entretanto, depois de um certo tempo notei que corria freneticamente mas a velocidade era muito baixa!!! As vezes, parece que eu estava andando! Quando cheguei em casa, notei que eu praticamente não transpirei nada!!!!

Quando eu fui correr o moderado, como eu não conseguia fazer mais que 93 rpm, então voltei a 90 e ampliei um pouco a amplitude. Senti um melhora em termos de velocidade.

Na sexta-feira, continuei forte. Aula de spinning consegui elevar muito a FC e, na natação, foi tranquilo. A sensação que eu tenho é que estou conseguindo flutuar muito melhor na água, como se estivesse com o neoprene!

Hoje, sábado, choveu de manhã e fui para a runner. Um saco fazer treinos longos indoor. Mas foi muito bom, principalmente a corrida na esteira (90 passadas).

Domingo, chuva. Tirei o dia para dormir até tarde, ver a corrida, comer muito e ler....
Blogged with the Flock Browser

domingo, 7 de setembro de 2008

Semana de Treino

Semaninha difícil....

Na segunda, não pude treinar porque fiquei trabalhando até tarde e, depois, fui comer um pizza por metro com os amigos aqui, porque já não dava para ir para a runner- virou o day-off da semana.

Na terça, no treino de esteira, fiz o que você pediu: fácil, a 10 Km/hora, 90 passadas, moderado, a 11,5 Km/hora, 94 passadas e forte, 13 km/hora, 99 passadas. O bom do treino foi que estou cada vez mais confortável nesse no período "forte", poderia ter feito mais 5 minutos ou mais (a 15 dias atrás, isso era impossível). Entretanto, como comentei com você no meio da semana, no outro dia, doeu....

Quarta, era para ser day-off, mas ai eu não gosto de perder treino e fui treinar para compensar segunda. Tanto a natação quanto a a bike indoor foram ok.

Na quinta, o longo de 1:40. Não sei se foi a sequência de treinos e o fato de não ter parado na quarta ou o tempo seco aqui (só hoje choveu), mas foi difícil! Eu comecei a correr e, com 10 minutos, já queria parar, uma INDISPOSIÇÃO FÍSICA E MENTAL. Era quase irresistível. Foi foi foi foi foi...foi indo até dar o tempo, mas deu um pouco de enjôo - beeemmm fraquinho. Passadas curtinhas o tempo inteiro, mas nem me preocupei em contar, porque eu foquei o tempo todo em terminar...a sorte é que o treino não tinha aceleração, porque não dava. A frequência cardiaca lá em baixo. Foi mais
um exercício para a mente do que qualquer coisa.

Na sexta-feira, o spinning rendeu pouquissimo. A aula foi fraca (apesar de ser anaeróbio o tempo todo) e drenou minha energia de forma totalmente inútil. Na piscina, fiz o treino programado, mas senti dor de cabeça nos tiros.

Sábado, fiquei em casa e dormi até tarde. Domingo, idem! Está chovendo e não daria para pedalar, mas estou sentido necessidade de ficar em casa e descansar esse final de semana? Dormir!

Resumo: 5:56 de treino e baixa quilometragem na natação, bike e corrida sem os treinos no final de semana - 18,6 Km.

Blogged with the Flock Browser

domingo, 31 de agosto de 2008

Momento Coach e a boa (e rápida) "preguiça" dos Triatletas


Está tudo bem, aproveite hoje, domingo a tarde, e saia de casa para dar uma volta, soltar as pernas, tomar um sorvete, pois amanhã, a semana começa novamente, outro dia para fazermos 100% do que damos conta. Essa luta é interminável, vejo isso com todos atletas que tenho, as vezes, precisamos ficar meio que "com preguiça" para pensarmos "o que estou fazendo", então levantar a poeira e voltar a rotina que queremos.

Vinícius
Ironguides

Semana Pós Troféu Brasil

Uma das coisas bacanas de você fazer um triathlon olimpico depois de treinar bastante é você se conscientizar do seguinte: não é fácil.

É verdade que a condição física melhora a ponto de você suportar quase três horas de ritmo intenso (ainda que eu gostaria que fossem duas horas e meia). Mas há um processo de recuperação na semana pós-prova que trás você para a realidade. Não se trata apenas de um desgaste físico, mas também mental.

Segunda-feira, fui na academia e fiz uma aula de spinning segurando o ritmo, mas não consegui nadar porque a piscina estava e manutenção.

Na terça-feira, era para dar um corridinha, mas fiquei em casa o dia inteiro. As dores na perna estavam um pouco mais fortes e bateu um desânimo forte. Quarta-feira, a mesma coisa! Como estou de férias, fiquei em casa me sentindo fisicamente um pouco esgotado. Eu só queria saber de dormir...

Na quinta-feira eu tinha que sair para ir ao dentista e levantei. Sai um pouco da toca é foi bom. A noite, fui correr fácil, mas senti um pouquinho de enjôo depois que cheguei em casa.

Sexta-feira fui dar aula em outra cidade e levantei as 4 da matina. Cheguei em casa a tarde, dei um cochilo e fui treinar. Foi legal, pois consegui fazer a aula de spinning forte e depois nadei, de forma beeeemmm agradável, sendo basicamente um treino de braço (sem esforço cardio).

No sábado, uma hora de corrida. Foi na boa, sem muito esforço. Não senti nada depois da corrida, como chegou a acontecer na quinta.

No domingo, pedal na estradinha com o Edú. Não foi das mais rápidas, porque o corpo não deixa um ritmo intenso, mas foi mais que simples rodagem...

Não sei porque senti tanto o esforço do TB. Mas talvez outras coisas estejam prejudicando a recuperação, como o fato de não estar dormindo legal. Isso decorre tanto do fato de eu ter alguns compromissos de manhã cedo, como de estar meio estressado por conta de coisas que deveria fazer nesses dias em que estou em casa, mas não fiz - como um texto que já deveria ter sido entregue.

O Vinícius disse o seguinte:

Esse sentimento de fadiga pós-prova é tão interessante que, e pode ser comparado até com o ciclo das drogas químicas, na verdade, o exercício também libera algumas substancias que te dão um prazer, euforia, etc, depois uma leve sensação de depressão. Você vai sentir isso ainda mais forte depois do Ironman, em inglês tem até um termo, o "Ironman Blues" – agente fica focado ali por meses para acordar na segunda a feira, ir ao banheiro e ver que continuamos a mesma pessoa, rsrs.
Blogged with the Flock Browser

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Troféu Brasil de Triathlon na USP




Esse final de semana, participei da 4 Etapa do Troféu Brasil de Triathlon.

Um dia que começou frio, mas depois o sol saiu. E forte. Como a prova tem início as 9:25, peguei um pouco de insolação. Fiz a prova em 2:49:08, um pouco melhor que em maio (2:52).

Natação - pela primeira vez na vida, fiz um aquecimento decenteu. E, como estou nadando fácil, o resultado foi que fiz a prova inteira sem nenhum tipo de dor no braço! Nenhuma sensação de peso. Nada, nada, nada...eu poderia nadar mais 750 metros sem problemas....Mas tirando isso, o resultado não foi bom se você olha o tempo - os mesmissimos 34 minutos do TB anterior. Eu tentei acompanhar algum grupo no início, mas foi impossível! Eu parecia que estava parado frente a velocidade dos caras! Ai, quando eu entrava na esteira de alguém, ficava impaciente e passava a figura, porque o sujeito era mais lento que eu. Mas é uma diferença abissal...nadei a maior parte do tempo sozinho, com a impressão de ter ficado para trás (o que não correspondia a verdade, pois na verdade eu estava entre dois grandes pelotões).

A bike, consegui um resultado um pouco melhor, como o Vinicius previu. Reduzi pouco o tempo - três minutos. Comecei na boa, e só apertei mais na segunda perna...Mas, realmente, a prova na USP é difícil....não dá para você desenvolver uma boa velocidade.

A corrida, de novo: os mesmos 52 minutos, isto é, igual ao outro TB. A diferença que eu passei 8 quilômetros correndo com passadas curtas. E foi, de fato, bastante eficiente, pois ninguém que estava atrás de mim, me passou - a não ser, claro, os que estavam na segunda perna da corrida - e, eu passei várias pessoas, que corriam com a passada mais aberta. Foi interessante comparar. Enquanto eu via muita gente cansar, no final tive gás para 2 km de sprint...

Bom, ficar feliz, não fiquei. Eu queria muito ter feito 30 minutos na água e tirado uns 2 minutos na corrida - se assim fosse, eu conseguiria quase 10 minutos em relação a prova passada. Mas só a bike ajudou...

Em termos de colocação, fiquei em 10 entre 14 na minha categoria. Muita gente embolada na casa dos 2:40 mas, desses, grande parte são atletas que melhoraram seu desempenho em relação ao último Troféu Brasil.

Mas é frustante você ver os caras terminando a prova e você ter que fazer mais uma perna de 5 km...Bate um desânimo daqueles.

Mas o jeito é continuar treinando.
Blogged with the Flock Browser

domingo, 17 de agosto de 2008

Semana de Treino

Uma semana com início muito intenso, mas com uma carga suportável.

Na segunda-feira, 2,3 Km com tiros de 50 metros. Próximo ao Troféu Brasil de Triathlon, o Vinícius força um pouco mais os treinos anaeróbios visando o início da natação. Na bike, um treino de 1:14, intercalando séries com intensidade forte, que tendem a ser mais difíceis em bicicletas estáticas do que nas bikes normais e treinos de rua. Um dos treinos mais fortes que já fiz, com grande nível de dificuldade cardiovascular - mas, do ponto de vista muscular, sem dificuldades.

Na terça, corrida na esteira com 12 Km, com intervalado de 1,6 Km. Estou progredindo, dada o aumento da velocidade (13 km/hora) durante um tempo mais longo e com passadas curtas (93 a 96 por minuto). Mas sai esgotado.

Quarta-feira, day off.

Quinta, o longão de 1:45 minutos, mas que virou de duas horas em função do encontro com o Tiago na volta. No início, fácil - consigo 88 passadas. Na fase moderada, 89 passadas e, na forte, foram 15 minutos entre 93 e 96 passadas. Gostei de correr em ritmo forte - desenvolvi um ritmo relativamente mais rápido de forma sustentável.

Na sexta-feira, apenas o spinning, pois a piscina da Runner estava fechada. Treino duríssimo com o Danilo. Grande esforço cardiovascular - e noto que estou um pouco fraco nesse ponto.

Sábado, duas horas de bike na USP. Duas, horas, sendo uma fácil e outra moderada - fiquei bastante contente com o moderado, pois andei em torno de 30 km/hora no coroão de forma muito fácil, mostrando que os treinos indoor estão surtindo efeito. Na corrida, mais 40 minutos - e me agradou muito também, pois conseguia correr muito fácil com as passadas curtas, alcançando uma média de 11 km/hora. Se fosse uma corrida de 21 km, seria um ritmo excelente e já noto uma coisa que o Vinícius chama a atenção - há uma drástica redução do desgaste físico. Mas ainda está um pouco irregular durante a semana, com períodos bons, outros nem tanto, pois não consigo alcançar sempre as 90 passadas.

Domingo, tirei para descansar e dormir até mais tarde.

Durante a semana, 8:41 de treino e 93 Km de rodagem total (bike, natação e corrida)
Blogged with the Flock Browser

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Desastre culinário de Atletas que moram Sozinho II

Outra da caixinha...

Fui fazer um pudim de Flan.

Ai, li na caixinha: coloque o conteúdo do envelope em uma panela com duas xicaras de leite e mexa até levantar fervura.

(e, graças a Deus, só tinha uma envelope na caixinha)

Bem, pra mim, "levantar fervura" é o leite subir até a borda da panela.

Ai, fiquei lá mexendo, mexendo, mexendo...

E nada de subir...o troço ficava soltando bolhas e estourava.

Eu olhava aquele troço e PLOC, PLOC, PLOC...mas nada de subir...

Putz, peguei a caixinha de novo e tava lá: LEVANTAR FERVURA...

Mas nada do breguete subir. Eu mexia, mexia e mexia até doer o braço...

E só PLOC, PLOC...

Meu, que angústia....

Só me convenci que a tal fervura eram as bolhas quando o negócio começou a dar cheiro de queimado....

Desconfio seriamente que o cara que deu a receita do Flan na caixinha foi o mesmo que escreveu a receita de Sagú....
Blogged with the Flock Browser

Desastre culinário de Triatletas que Moram Sozinhos I

Fui fazer sagú, aquele de caixinha. Lá dizia: pegue o conteúdo do saquinho maior, despeje na água quente e mexa até ficar transparente.

Pensei: bico!!

Pois é, eu olhei, olhei, olhei...e o saquinho maior tinha um pó. Um pó vermelho. O outro: umas bolinhas.

Peguei o do pó e coloquei na água fervendo.

Claro que eu podia ter me perguntado como um pó vermelho fica transparente...mas, enfim, se a receita tava mandando....estava escrito na caixinha saquinho MAIOR...

Acho que fiquei uma hora mexendo, esperando aquela água ficar gosmenta...e nada...

Quando ficou só um tiquinho de água na panela, liguei para minha mãe para saber o que eu tinha feito de errado....

Bom, nem vou comentar o resto porque foi uma humilhação...
Blogged with the Flock Browser

Lucia e Miguel e Lucia e Constantino na Prova da Adidas - Inverno


domingo, 10 de agosto de 2008

Semana (chuvosa) de Treino

Semana chuvosa Todo o treino na Runner, indoor -  inclusive inacreditáveis 1:45 na esteira...

 Mas também estou me sentido estranho do ponto de vista cardiovascular - tá faltando fôlego na bike! E faz tempo que eu não sentia isso!

 Bom, na segunda-feira, o treino de natação para arrancadas fortes foi difícil, confesso para você que não estou acostumado em dar um pau e depois ir aliviando. Meu condicionamento é sempre melho no progressivo, mas foi ótimo. Agora, na bike, nos último 10 minutos fortes, só deu para fazer 8. Para descrever exatamente o que aconteceu: "falta de fôlego", parecia que os meus pulmões não conseguiam dar conta do exercício, embora eu não estivesse cansado e sentisse as minhas pernas muito fortes...Faz muito tempo que eu não sentia esse tipo de coisa. Os pulmões queimam um pouco.
Na terça, fiz o treino a esteira e me senti melhor na segunda parte do exercício - combinamos uma velocidade de 12 km/hora, mas deu para aumentar até 13 km/hora nos últimos 800 metros dos 10. Passadas entre 90 e 96 por minuto, sempre. Sem problemas de fôlego!

 Quarta, fiquei em casa. Mas não senti tanto assim o treino do dia anterior, como na semana passada.
 Quinta-feira, chuva a noite. Fui para a runner e fiz o treino todo na esteira. Para simular um pouquinho a rua, fiz com elevação da esteira de 1% . Ajustei para para 9.6 km/hora até chegar a 10 Km/hora e ai fiquei, tempo todo entre 90 e 93 passadas, as vezes chegando a 96, quando eu me concentrava mais. Parei apenas 3 vezes, um minuto, para me enxugar  e parar um pouquinho porque haja saco...

 Sexta-feira, fiz aula de spinning e voltei a ter aquele problema do fôlego curto!!! E eu não estava no extremo da FC, mas as vezes parecia que o ambiente tinha menos ar do que aquele que eu precisava (rs). Não sei muito bem o que está acontencendo....Na natação, treino excelente! 3 km, sendo 2.4 Km com pulbóia e palmar - bom ritmo, braço forte...

Sábado, chuva. Fui na Runner e comecei com uma hora de bike - moderado, simulei pedalando no coroão. Realmente, minhas pernas estão mais fortes e não abusei da frequência cardiaca. Ai fui correr, uma beleza! Passada curta e velocidade baixa, me senti bem solto. Deu uma relaxada!

Essa semana, em função de ter trocado o pedal pelo spinning, houve uma redução da quilometragem percorrida, embora tenha treinado mais que semana passada. Resumo: 7:20 de treino e 37 Km rodados.
Blogged with the Flock Browser

domingo, 3 de agosto de 2008

Semana de Treino

Na segunda-feira, um novo tiro de 1.500 metros. Em uma boa raia, consegui diminuir o tempo para 30 minutos, bem mais próximo da média que alcanço nas provas. Na bike, treino de uma hora, mas que só cumpri 40 minutos, de caráter moderado.

Terça, fartleck de uma hora na esteira. Depois de 20 minutos de aquecimento, fazia variações a cada cinco minutos com velocidade constante de 10 Km/hora: 90 passadas com esteira a 0,0 graus de elevação, 93 para 1,0 graus e 90 para 3,5%.

Quarta-feira, day-off.

Quinta, um longo de 1:45 dedicado a passada, com a orientação de, se possível, acelerar um pouco em comparação a semana anterior. De fato, corri um pouco mais rápido ( 9,3 km/hora) em relação a semana anterior (que foi muito ruim), mas não tanto se comparada a outras que já fiz. Além da musculatura da coxa ficar desgastada, houve uma dor do lado da rótula do joelho. Percebo que corro tensionado, pensando em cumprir as 90 passadas. O treino é pouco produtivo do ponto de vista da velocidade e difícil acreditar na eficiência quando você olha o resultado. Mas o Vinícius é tão convicto desse método que farei até ficar bom...

Na sexta-feira, spinning e natação. Aula fraca de spinning, mas na natação nadei com palmar e pulbóia - 2.600 metros. Um bom treino.

Sábado, cedinho na USP. Treino de bike fácil e corrida, com 20 minutos, sendo 30 fraco e 20 fácil. O Edú foi junto e, como a temperatura estava mais agradável para pedalar e correr, foi bem legal.

Domingo, choveu e além disso, fui dar aula. O longo de bike fica para semana que vem...

Na semana, total 7 horas de treino e 62,7 Km de distância.
Blogged with the Flock Browser

domingo, 27 de julho de 2008

Cervelo

Embedded Video

Blogged with the Flock Browser

Momento Coach e a técnica de corrida

Uma dos desafios nesse momento é reaprender a correr utilizando passadas curtas. Não é simples, não é fácil, em função do condicionamento já existente. Mas vou progredindo. Segundo o Vinícius, as vantagens desse método são evidentes....


"Sobre a diferença de velocidade e técnicas de passadas, você ainda está bem no meio da curva de aprendizagem, fiquei muito satisfeito de ler que fez 90, 93 e 100 passadas no treino da esteira, o objetivo é fazer com que 90 passadas fique "natural" e então você vai ter sua velocidade de volta, mas com maior eficiência (vai demorar mais para quebrar), e com uma biomecânica melhor, você vai agüentar mais treino sem ter lesões.As pernas travadas após o treino de esteira reflete que você está recrutando suas fibras de uma forma nova e diferente, aos poucos isso vira normal, vai parar de doer e você vai correr mais solto"

Semana de Treino

Na segunda, um contra-relógio de 1.5 Km na natação. Bom, já comecei a semana mal, porque fui nadar e fiquei do lado da borda da piscina, onde tem a parede. Com um sujeito do meu lado. Além do aperto, toda hora braço rente, a água estava agitada demais. Nadei o tempo todo brigando, mas brigando com a água - não conseguia deslizar e força, força, força o tempo todo. Resultado - 39 minutos, quando eu já consegui fazer 32 na mesma piscina. E, sinceramente, não me parece que foi o cansaço, não. Era falta de eficiência mesmo! A água parecia um mistura da USP (muito denso) com Santos (muito agitado). Não é desculpa, mas não era para ser tão ruim. O treino de bike foi ok, na boa.

Na terça, eu esqueci de ter perguntar ao Vinícius se o treino na esteira era passada aberta ou fechada na parte forte (4 x 5 minutos era no pau). Bom, pelo sim, pelo não, fiz passada curta. Aproveitei para contar direitinho - no aquecimento, 90 passadas por minuto (20 minutos), na parte moderada, 93 (2 x 10 moderado) e, na parte final, eram 100 passadas por minuto. Mas acontece o seguinte: com a passada normal, eu faço 15 km/hora, com a curta, 13 km/hora. Só que é terrivelmente mais difícil fazer a 13 com passada rápida do que 15 km/hora com a normal. Foi realmente difícil....

Na quarta, eu estava cansado...mas fiquei em casa porque era day-off.

Entretanto, o treino de terça só senti mesmo no quinta, dia do longão! Ainda bem que era um treino voltado para a técnica, porque a musculatura da perna estava muito rígida e eu não me sentia bem. Me esforcei o tempo todo para manter 90 passadas por minuto e acho que consegui, mas estava frio, garoando de vez em quando, eu não pegava ritmo, não tinha eficiência e a perna estava rígida por conta do treino de terça. De novo, força o tempo todo...Foi daqueles treinos em que você tem que pensar que está competindo, porque a vontade parar é grande...Mas cumpri o tempo de treino, exatamente 1:45 minutos.

Na sexta-feira, aquela vontade de não treinar, de ficar em casa por conta do desgaste da semana. Mas fui (mesmo sabendo que a piscina da runner estaria fechada). Fiz a aula de spinning aeróbico com variações e, depois, fui para a esteira correr mais 50 minutos, muito na boa, só visando volume e técnica de passadas.

Fiz essa corrida porque eu pensei em tirar o sábado para arrumar umas coisa, tal como cortar o cabelo, pegar a bike na oficina etc e, sobretudo, descansar. No fundo, é como se eu misturasse o treino de sexta-feira e sábado um pouquinho, aproveitando o fato de não ter nadado.

Domingo foi um bom pedal com o Tiago: 3 horas na bandeirantes. Apesar do frio, o sol saiu e havia pouco movimento na estrada - além de mais segura, pouca poluição.

Uma semana parecida com a anterior: 88,7 km de rodagem total e 9:07 de treino

Blogged with the Flock Browser