sábado, 2 de junho de 2012

Desabafo

O que você faz quando pega uma matéria da VO2 chamada "Receita Campeã", feita por duas nutricionistas, que pinçam uma frase da Fernanda Keller que diz assim "a alimentação dos triatletas deve ser testada e definida nos treinos, independentemente do tamanho da prova".

Ai você pega um artigo do Mark Allen, que começa da seguinte forma:

"Here is a scenario that many triathletes have experienced in long races. They use the same sports drink that has worked wonders in training only to find that it causes them to get nauseated, bloated or even throw up. How can that be? A popular piece of advice is to try out in training what you will use in a race, and if it works in training it will work during a race. Correct? Not so with fluid replacement (...)"


Ai eu pergunto para quem fez prova domingo e passou mal, qual texto faz mais sentido?


Obviamente, não é atribuição minha entrar em uma discussão em que há profissionais muito mais capacitados para apontar se o Mark Allen, não sendo nutricionista, pode ou não pode escrever o que ele escreveu.

O que me interessa saber é se ele está correto ou não está correto. Se eu tenho que chegar para o nutricionista que me orienta e perguntar se o eletrólito que tomo nos treinos vai ser realmente efetivo quando for usado na prova.

A tempos venho me batendo contra o senso comum nas "revistas especializadas". Quanto mais eu leio, mais eu aprendo mesmisse que reina por ai.

Conforme me chamou a atenção um grande treinador e amigo meu, o triathlon vem crescendo horrores no país e tem gente abocanhando esse crescimento fazendo uso material de qualidade discutível.

É gente que não faz triathlon, nunca fez triathlon e que vê nesse público uma oportunidade de negócio.

Exemplo? Tá na mão....

Uma vez a V02 fez uma chamada de capa sobre Ironman. Letras garrafais...

E coloca na capa uma atleta fazendo uma prova com a distância olímpica e na matéria interna fotos de uma etapa do Troféu Brasil ou do Internacional de Santos.

??????????

Não, diz pra mim...

Exceções? Claro - basta ver a ótima matéria sobre medidores de potência feita pela Ana Lidia Borba em um número anterior na mesma revista.

Todo mundo sabe que não morro de amores por medidores de potência, mas reconheço que aquela matéria poderia ser publicada na Triathlete Magazine sem problema algum.

Mas são exceções. E eu tô cansado das "exceções"...

Recentemente, tive oportunidade de discutir com o George Volpão, que me fez a mesma observação olhando as revistas de corrida dizendo o seguinte: se a gente não tem acesso a blogs e revistas eletrônicas aqui e no exterior, a gente fica completamente no escuro.

A gente sabe que o mercado é pequeno, que temos poucos produtos e ter o melhor é caro porque é necessário importar.

Tudo bem...

Agora, informação? Informação tá disponível em qualquer lugar da internet. Basta ter vontade de pesquisar...

Antes de ficar falando sobre a "Receita Campeã", vamos abaixar a bola um pouco. É melhor falar que esse assunto é discutível, que existem pontos de vista conflitantes, que pesquisas não são conclusivas...

Vamos nos dar a liberdade de dizer "não sei..."

Um comentário:

Xampa disse...

Bessa, eu prefiro o conhecimento pela experiência do que pelo estudo e tenho até medo de ler textos de ortopedistas e nutricionistas.