domingo, 6 de fevereiro de 2011

Semana de Treino

Chegou a planilha do Rodrigo e a coisa mudou mesmo!

A primeira coisa que ele fez foi dar um "cavalo de pau" nos meus treinos de volume.

Houve um forte redução do número de horas de treino e a aplicação de mais intensidade.

Desde do Iron do ano passado e com a sequência de provas que vieram posteriormente, todas elas com no mínimo 5 horas de duração, eu estava bastante habituado a fazer treinos longos. Não apenas fisicamente falando, mas sobretudo no aspecto mental.

E foi essa a maior dificuldade que tive na semana, isto é, "me acostumar" com a redução do volume. Por outro lado, meu corpo também reagiu de forma estranha, um tanto "esquizofrênica".

Na segunda-feira, treino em dois períodos. Pela manhã, um treino curtinho, com 10 minutos de aquecimento, 4 x 4 minutos forte e 10 de trote. Fiz, mas não me senti confortável - mas decorrente do treino de bike do dia anterior, que foi bem puxado.

A noite, piscina: treino com com séries de tiros de 25 e 100 metros, com períodos de descanso bem tranquilos entre as séries. Bom, eu vinha de treinos intensos (séries com 800 metros TT) na piscina e não foi fácil me segurar na borda da piscina.

Senti uma irritação braba e uma angústia infinita - por instantes, pensei em ceder para o lado escuro da força ;-)))).

Só que esses treinos compensam. Depois de tudo, ao sair da academia, me senti bastante revigorado e até feliz.

Isso é uma arte entre no IG - eles são capazes de propiciar treinos que estão no limite de te deixar com uma certa sensação de euforia.

Pois bem, na terça-feira, treino de rolo a noite. Resolvido o mistério de tanta câmera furada no rolo (era a porcaria da fita que estava com ponta), fiz um treino progressivo bem curto, sendo que pela primeira vez experimentei treinos no rolo com cadência de 100 ou mais rpm´s no inicio, sendo seguida de alguns poucos minutos (8, 4 e 2 minutos) com intensidade moderada, forte e máxima.

Outra vez gostei do treino. Intensidade, mas sem aquela coisa se sentir asfixiado, muito comum em treinos de VO2.

Quarta-feira, começa com uma corrida pela manhã, tal como na segunda. Uma hora fácil. Aproveitei para correr no Campo de Marte, só que desconfio que meu corpo puxou um tantinho mais do que deveria.

Sempre que começo um treino livre, eu deixo o ritmo fluir. Mas meu corpo estava entendendo "fácil" diferentemente do meu cérebro. Corri aparentemente em ritmo confortável. Aparentemente....

A noite, natação. Aquecimento de 12 x 50 (sendo 3 fácil e 1 forte) e 18 x 100 metros, com palmar e pulbóia, com 1 minuto de intervalo. Quando olhei pensei: isso tá muito, mas muito fácil mesmo!

E um minuto de descanso é quase uma eternidade....bem, como diz o Jorge, se é para treinar só isso, não vale a pena nem sair de casa...

Eu fiquei de mal humor. De novo!

Mas terminei o treino com os braços tão pesados e, diferentemente do treino de segunda, minha percepção sobre o cansaço se alterou radicalmente.

Eu estava me sentindo um lixo! Será que puxei muito a corrida pela manhã?

Fui trabalhar na quinta e me senti muito cansado. Mal tinha dormido na madrugada anterior.

A noite, havia na programação um treino com o rolo. Por um triz não fiz. Cheguei em casa, sentei no sofá e tirei um cochilo. Acordei e fiquei com a má vontade - mas era treino de força, curtissimo, Big Gear...tá ai um treino que gosto bastante e, quase sempre, me deixa bastante revigorado.

Fiz! E me senti um pouco melhor. Mas isso não durou muito....

Tinha uma corridinha de 40 minutos fácil na sexta-feira pela manhã. Só que foi duro!!!! Não me senti bem. Os primeiros 20 minutos foram de grande desconforto. Nada de dor ou algo no estômago...o corpo apenas não queria correr.

Na metodologia do IG, quando isso acontece, eles te pedem para tentar 20 minutos. Se ainda assim você se sentir mal, ai você para mesmo porque não vai rolar...

A sensação de desconforto não desapareceu, mas depois desses minutos iniciais diminui o suficiente para eu terminar a corrida. Fui trabalhar e me senti péssimo...

Mas para quem não vive do triathlon, enquanto se trabalha se descansa. E a noite eu estava melhor para fazer as séries de 50 metros bem tranquilas na piscina. Todas fáceis.

A sensação de cansaço tinha sumido novamente - mas nada garantiria que ela não voltaria no final de semana. Fiquei meio de zóio....;-))))

Sábado será dia de simulados de swinbikerun (sprint) que passarei a fazer no Riacho Grande. Quando comentei com o Rodrigo que tinha a disponibilidade do Clube do Borracheiros, ele não pensou duas vezes em indicar esse treino para aproveitar a infraestrutura do lugar.

O Mota e o Luiz, que treinam lá, me deram as indicações (thanks Fellows!!!) e fui para lá com um pouco de receio em função do meu estado. Cheguei cedo, encontrei o Júlio Vicunha, que é responsável pelos simulados lá e que me falou do percurso entre as bóias e coisa e tal...

Estava um dia bonito pra burro e a água estava sensacional. Mas deixei a bike ali, encostada no carro, o tênis perto...enfim, apesar do Rodrigo ter pedido para fazer a transição como nas provas, eu vi que ali não dava. Resolvi marcar apenas os tempos da natação, da corrida e do pedal....

(Semana que vem, vi onde o pessoal deixa as bikes ou comprar meu próprio suporte....)

Bom, a natação eu quase gostei, mas não sei se deveria. Ao invés de fazer um aquecimento, iniciei o simulado já nadando forte, aproveitando que outras pessoas tinham pulado na água.

Mas considero que até nadei bem, na casa do 15 minutos, apesar da sensação de braços cansados. Por quê não sei se deveria ter gostado? Porque eram esses os meus tempos no TB. Parece que não evolui.

Claro, bem sei que poderia ter feito outro raciocínio, mais ou menos assim: apesar de ter feito meu último sprint a pelo menos 2 anos atrás, continuo mantendo minha velocidade na natação.

Mas, faz parte da minha psicologia a opção número um (rs).

Fui para a bike e tinha pouquissima gente no Riacho. Dava para fazer um pedal limpo (aliás, que diferença em relação ao congestionamento de carros, corredores e ciclistas da USP!!!!!).

Puxei forte, mas sem o aquecimento das pernas, essas também sentiram o esforço e ficaram pesadas - fiz 21 km com média de 33,8 km/hora - mesmo considerando que o trajeto do Riacho é duro, mostra que eu preciso melhorar demais.

Pois tem gente que faz isso lá para 100 km e acha que treinou mal...

Sai para correr e, como sempre, o pedal nunca compromete a corrida (pelo menos de um jeito que eu perceba imediatamente) e já comecei forte com as pernas soltas.

No Riacho, descendo e subindo, 5 km em 25 minutos. Gostei médio.

Finalizei todo simulado em 1:18 (sem transição).

Em Santos, lembro que fazia em torno de 1:16 com as transições.

Mas sai de lá feliz, porque o dia estava realmente bonito e você fazer um treino curto sem problemas de consciência no sábado é uma coisa a qual eu estava completamente desabituado.

No domingo, estava previsto apenas um pedal de 3 horas fáceis. Outro dia no Riacho e outro dia bonito. Aproveitei a companhia da Deise e fizemos um pedal relaxado, as vezes explorando mais o giro, as vezes explorando uma cadência baixa.

O saldo da semana foi bastante positivo. Apesar do meu corpo ter reagido de forma meio errática com a redução dos treinos, eu realmente estava precisando diminuir o volume.

As vezes, você só percebe essa necessidade quando efetivamente põe isso em prática. Depois de um fase longa de esforço longo, fazer um treino de uma hora e ainda se sentir motivado é muito bom!!!

Até a vontade de ir treinar no final de semana voltou. Quantas vezes substitui as idas ao Riacho por treinos de três ou quatro horas de rolo?

Só espero que o tempo se mantenha assim, firme. Eu gosto do frio, mas para treinar nada é melhor que o tempo que está fazendo agora....



5 comentários:

Guto disse...

Eu treino com planilha IG mas sem o coach...peguei a de meio iron. Realmente, tem horas que parece q o treino de natação é muito devagar, esperar 1 min, 4 min na borda é uma eternidade. Mas estou me acostumando com o método, não fico mais ansioso por só treinar 40 - 50 min de corrida, ou nadar menos do que estava nadando antes. Acho que na 5ª semana (onde estou) já posso falar que vale a pena. Acho que preciso fazer uma prova logo p poder ver outros atletas em ação. Preciso evoluir muito, isso eu sei, minhas médias não passam nem perto das que vejo aqui e em outros blogs, mas sei tb que a evolução é gradativa. Sucesso na nova empreitada e bons treinos.

Abs Guto

marli disse...

OLá Vagner, cansei só de ler o seu post, que dirá treinar assim, Parabéns pela dedicação!!!
Bons treinos,
Boas energias,
Simbora
@marlipalugan
www.marlipalugan.blogspot.com

Emiltri disse...

Fala Vagnão,

O intervalo grande entre as séries é por que se trata de um treino de força, e fadiga não combina com força. Repetir as séries cansado só vai aumentar seu endurance. Com as pausas vc aguenta o mesmo ritmo forte do começo ao fim. Esse treino é power!

Treino seguindo o Joe Friel, da Training Peaks e de vários livros.

abrax.

Yeda disse...

Pô Vagner, o Jorge (negão) também está te influenciando...rs rs rs Só não vale chegar quando estivermos correndo e perguntar se vou correr hoje...ops, eu já fiz isso com você... rs rs rs

satrijoe disse...

Fiquei que nem a Marli... Cansei só de ler! rs

Quando o corpo entra em uma rotina acho que é normal que ele reclame quando sai dela, não é não?

Abs e bons treinos,
Shigueo