quarta-feira, 4 de maio de 2011

Semana de Treinos

A semana foi marcada pela volta aos treinos regulares, isto é, pela rotina de atividades tal como estabelecida na planilha do Ironguides feita pela Rodrigo.

Consegui identificar que uma das causas da minha lombalgia era o meu colchão, que já está vencido. Motivo besta. Poderia ter se manifestado a qualquer momento, mas foi caprichoso de mostrar a cara justamente em um período critico dos treinos para a prova mais importante do ano.

Com a acupuntura que fiz com a Silvia e o Eduardo e a mudança do colchão, a situação melhorou bastante, embora ainda sinta certo desconforto quando fico sentado. Mas nada que me atrapalhe.

A rotina de treinos até aqui é uma mescla de treinos de intensidade durante a semana, transição no sábado e longos de bike de domingo. Segundas, quartas e sextas treinos em dois períodos (natação pela manhã e corrida a noite), terças e quintas faço treinos de pedal no rolo.

No final de semana, recebi a planilha do Rodrigo para a reta final até Floripa. Ele ponderou que esticou um pouco os treinos em função dos dias que perdi. Isso não me deixou preocupado, já que nos outros anos ocorreu o mesmo, embora por outros motivos.

Como eu já comentava em um texto aqui do Blog de 2010, iniciar o polimento cedo é um erro e deriva de certa tradição entre os treinadores em que herdada dos treinadores de maratonas, na qual seus atletas, fustigados por treinos intensos, comumente entravam em overtraining. Conseqüentemente, precisavam de períodos mais longos de descanso.

Para mais detalhes sobre isso, ver o artigo do Vinicius no Mundo Tri, além dos ótimos textos da Ana Lidia, do Ciro e do Alexandre (http://issuu.com/mundotri/docs/mundotrimag008?viewMode=magazine&mode=embed)

Mas um pouco preocupado com o meu atraso, resolvi antecipar em uma semana os tradicionais longos de seis horas do Ironguides seguidos de uma corrida curta ao final. Como sempre, cheguei no Riacho as 6:00, encontrei a Deise, Andréia e o China, mas resolvi adiantar um pouco as coisas e sai para pedalar sozinho, já que ficaria lá até mais tarde também.

Estava me sentindo relativamente descansado, já que dei aula na Puc no dia anterior e fiz apenas um treino de qualidade no rolo pela manhã. Entretanto, ao sair da faculdade, tentei comprar caramanholas e R4, mas cadê que consegui para o carro no Center Norte para fazer isso? Para que viver em uma cidade que tem tudo se você não consegue aproveitar nada sem pegar fila...

Enfim, levei pouca água e minha alimentação pós-treino foi péssima...

Nesse pedal, testei a alimentação. Seguindo a sugestão do Artur, usei apenas GU Roctane e GU Chomps. Para me hidratar, Vitargo e Água. Nada de “sólido” (pães, bisnagas, bananinha etc)

No final, me senti bem, mas consumi apenas cerca de 100 calorias por hora, quando recomendável são, no mínimo, de 300. E o problema nem foi consumir o gel por conta do gosto, de enjôo ou sei lá o que mais. É que...

Ah, sei lá eu?

Mas, caramba, porque eu preciso ter uma resposta pra tudo? ;-)))

Prometo que, no próximo, vou me disciplinar para ingerir um gel a cada 45 minutos – nem que seja na marra.

O treino foi duro, como sempre é no Riacho – aquelas subidas encardidas e o vento. Em termos de aproveitamento, consegui 176 km em seis horas. Gostaria imensamente de ter feito uma média de 30 km/hora, mas quando estava quase lá, meu desempenho começou a cair, cair, cair...enfim, consegui apenas 29,3.

Mas, ao comparar com o ano passado, andei melhorando, pois nesse mesmo lugar, nesse mesmo período e nas mesmas seis horas, minha rodagem foi de 170 km.

Ou seja, o Vagner 2011 saiu com uma vantagem de seis quilômetros sobre o Vagner 2010 quando ambos fecharam o pedal. E o Vagner 2010 não tem perna para alcançar o outro, embora mais velho...

E, pensando assim, seis quilômetros é chão, hein gente? ;-))))

Aliás, é por isso que é legal ter um blog para registrar essas coisas. A história te dá um pouco de perspectiva.

E ao rever o que fiz ano passado, vi que a apesar da lombalgia, as coisas não estão tão diferentes assim – aliás, talvez elas estejam até melhores, já que em 2010 perdi alguns treinos longos em função da chuva me maio.

Agora, vamos ver essas semanas em que o estresse físico e mental aumenta de forma considerável.

Aliás, por conta disso, só agora começo a me dar conta da prova no final de maio – sim o Iron.

Porque, sinceramente, a prova não me pilha. E não se trata de salto alto.

É que não adianta...

Como aquela frase atribuída ao Einstein:

“Eu nunca penso no futuro. Ele não tarda a chegar.”

9 comentários:

Cristian Moraes Duarte disse...

Blz Bessa, sabes que estou com um receio de parar com os longos ja na próxima semana.
Diferente de você não tive problemas de dias sem treinar, mas acabo ficando na duvida se essa semana seria a ultima forte, legal que o Rodrigo colocou mais uma pra ti.
Sobre o teu pedal, ele ta muito bom mesmo, tenho certeza que faras 30 de média no IM, polimento, motivação do dia da prova e vacuo, é vacuo mesmo, nunca fui na prova, mas acredito que dificilmente durante as 6 horas de pedal vamos ficar a 10 metros dos outros participantes, então acabamos nos beneficiando, mesmo que pouco, mas acabamos ...
Legal ver que você ja voltou com força. Grande abraço e nos vemos dia 29 ok.

Cristian Moraes Duarte disse...

Queria colocar esse gadjet que tem no teu blog com um bonequinho que corre, nada e pedala, mas não consegui colocar :/
Tem como tu me passar o código html desse bunequinho :D
flw

Xampa disse...

Eh veio, eu acho q esse ano vc esta mais rapido. Nao me lembro de vc menciomar treinos d transicao no ano passado.
Estou pensando em fazer mais uma serie de perguntas sobre o ultimo mes de treinamento e como foi desde jan. Rola samba?

ciro violin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ciro violin disse...

Abaixar tempos no Ironman é a meta de quase 99% dos atletas.
E a minha tb é.

Te digo que não tem muito segredo.

O Vagner de 2010 com certeza vai ficar para trás do Vagner 2011.

Um ano de treinos a mais, é muita coisa, e vc vai se sair melhor.
Mesmo que vc tivesse feito exatamente os mesmos treinos de 2010, ainda assim estaria melhor.

Digo com certeza que se não acontecer nada com o equipamento como uma porra de pneu furado ((vá com pneus novos, não caros, mas novos))... vc vai deixar o Vagner de 2010 uns 10 min para trás...

abs

Alessandro S Silva disse...

Acho que se eu estivesse treinando para um Iron eu ficaria pilhado, mesmo porque é um desafio para poucos.

Boas Corridas!! Sucesso!!!

Alessandro
http://blog42195.blogspot.com/

Cristian Moraes Duarte disse...

Opa ai vai meu email
kassinugames@yahoo.com.br
Abração

Artur Araujo disse...

Tem que enfiar gel goela abaixo irmão.kkkkk Espero que tenha gostado da idéia,acho que no iron ou em qualquer prova a alimentação tem que ser simples,tanto pra consumir,quanto para a digestão.Eu por exemplo coloco todos os géis em garrafinhas,as pastilhas de sal,remédios para dor,luftal essas coisas em compartimento de comprimidos.Isso tudo para simplificar o processo, principalmente na bike,devido ao perigo constante que é pedalar.E em prova de endurance do que vc precisa?Energia certo?Então amigo gel,repositor,sal,água.Não precisa mais do que isso.Agora tem as particularidades de cada um,uns gostam de comer sanduba e afins.O problema não é só comer o bicho,mas tem gente que leva sanduba de queijo minas.Imagina aquilo nas tuas costa,acondicionado em papel alumínio,recebendo todo o seu calor durante a prova.Agora imagina o depósito de bactérias que é aquilo.Isso pode levar a vc perder a prova,pode levar não quer dizer que vai.Cada qual com seu cada qual,tem gente que está acostumado.De qualquer forma irmão,vc vai arrebentar nesse iron,até comendo rapadura.Grande abraço.

Joka disse...

Karacas o Ciro ja falou tudo !!!! Manda ver Bessa 2011...rsrsrs Uhuuuuuuuuuu