segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Treino da Semana

Depois de uma semana totalmente off, comecei a seguinte com a rotina de treinos de sempre...

Mas não está "off-season" ainda? Engraçado o número de matérias sobre esse assunto nessa época do ano.

O problema é que tudo é muito repetitivo. Pouca gente tem coisas a acrescentar sobre esse assunto.

Tenho quase certeza que os que lêem sobre essa rotina de provas e treinos, podem pensar que logo logo o dono desse blog vai entrar em estado de "overtraining".

Mas o mundo é bem complexo que clichês tipo "Treino também é descanso" dão a entender....

Sim gente, isso virou clichê.

E notem: o grosso dos que falam sobre overtraining é exatamente aquela parcela de pessoas que menos se expõem a isso de fato.

Notaram?

Mas voltando ao principal, acho que se peca demais por falta de foco. As vezes (ou quase sempre) as abordagens não distinguem as particularidades dos amadores ou daqueles que competem nos chamados "age-groups".

Tem um artigo do Marc Becker que acho perfeito. No fundo ele diz que apenas os triatletas profissionais de fato precisam de descanso tal como você e eu entendemos "descanso".

Nós (ou a maioria de nós) amadores, temos outro estilo de vida. Passamos o dia sentados ou, por compromissos familiares ou profissionais, nosso treinamento é repleto de lacunas. Nesse sentido, ao invés de um planejado day-off, seria mais interessante que a nossa rotina e os imprevistos que ela impõe fossem utilizadas como descanso.

No fundo, nós que trabalhamos no setor de serviços da economia, temos uma cota de "descanso" (ou"não atividade") superior aos que precisam usar suas habilidades físicas todo dia, a toda hora.

Mas reclamamos mais que eles...(isso sou eu que estou dizendo...;-))))).

Isso não significa que as pessoas não precisem de alguns dias, quantos forem, sem treino.

Mas, pelo menos na minha opinião, essa parada decorre mais de um alivio em relação ao transtorno mental que os treinos impõem do que esgotamento físico propriamente dito.

Por isso, gosto das pessoas que dizem "agora eu vou parar para poder ficar com a familia, filhos, viajar, andar de montain bike, surfar ou simplesmente acordar tarde no final de semana para ler o jornal na cama...."

"Descanso" aqui tem que ser visto como descanso no sentido mais preciso do termo. Ponto.

De outro lado, em relação ao meu calendário (e também considerando a minha idade), o período off-season é de treinos curtos e intensos, com volume restrito. A vantagem é que treinos assim são reparativos, podem ser utilizado para ganho de velocidade ou o desenvolvimento de novas habilidades sem prejuízo dos ganhos obtidos ao longo de todo ano.

Em resumo, "descanso também é treino" é um desses clichês que poderiam ser banidos do vocabulário dos amadores sem o menor prejuízo.

Tem outras coisas que precisamos repensar, deixar certas posições de lado sem medo porque elas foram pensadas para um universo na qual nós amadores não fazemos parte.

Heresia? Olha isso aqui http://www.ironguides.net/news/428.html

Bom, mas em janeiro tem Pucón!

E o coach já definiu a estrutura de treinos até lá.

É o tipo de treino que me faz sofrer pra burro. Em resumo: ele está investindo em intensidade.

Segunda-feira, é dia de natação. Depois de um aquecimento, são tiros de 25 metros, depois 50 metros em ritmo moderado, voltamos para os tiros de 50 metros e, para dar uma aliviado no sistema cardiovascular (mas não nos braços) 300 metros com palmar e flutuador. Ai você percebe que seus braços estão bem cansados e...descansa? Não, faz a série toda de novamente....:-((

Terça-feira é uma rotina que começa com um corrida leve pela manhã. Coisa de 30 ou 40 minutos. Mas a noite, você pega a bike, põe no rolo e faz treinos de VO2. Tiros de 2 minutos com intensidade forte 3x, depois 90 segundos 4x, ai 60 segundos 5x e termina com mais e 30 segundos 6x. O intervalo é idêntico ao período de esforço. É o tipo de treino que me deixa estirado no chão da sala depois de feito...

Quarta-feira, uma corrida de 60 minutos pela manhã (fora aquecimento e desaquecimento), mas com intensidade moderada. A noite, 45 minutos de natação com pulbóia e palmar, progressivo.

Quinta-feira, um treino de transição na academia: pedal forte com alta intensidade e intervalado. Na sequência, esteira com períodos de intensidade fácil a moderada. Não considero dos mais difíceis, mas é uma novidade, pois treino de transição mesmo eu só fazia aos sábados e domingos.

Sexta-feira, piscina novamente. E daqueles treinos de intensidade que "doem até". Imagine 1.500 metros com tiros de 100 metros com míseros 30 segundos de intervalo. Quando você começa a tomar fôlego, tem que sair a mil novamente.. Os braços ficam imprestáveis!

Sábado, 3 horas de pedal com uma corrida de 30 minutos. Bom, nesse sábado, voltei para a USP. E fazia tempo que não pedalava lá. Nada mudou. Chego, o sol ainda não nasceu. O piso da Raia é tão ruim, é tanto tranco, que tudo pula! O capacete só não vai parar na Marginal Pinheiros porque tá com a fivela....

Domingo, é dia de longuinho. Coisa entre uma hora e quarenta ou duas de treino. Mas, como fui ver os amigos no TB de Santos, corri apenas uma hora por lá - mas não me senti bem, não.

Depois fui nadar com o Alberto, que fazia sua estréia no triathlon e fui ver a chegada dele e do Edú.

O dia valeu também por ter ficado de papo com a Guda e a Claudinha, além de ter revisto o Caio, Gabi, o Edú Carvalho, Felipe...putz, tanta gente!!!

Nunca tinha ido a uma prova para curtir. Gostei da experiência!

2 comentários:

Artur Araujo disse...

Cara eu estava pensando o que escrever no blog,e começei a ler um pouco e vi as pessoas falando de descanso e tal e resolvi falar sobre isso.Aí entro no blog vejo post novo no teu blog e leio exatamente o que penso.PQP vai pensar igual assim lá na casa do c.....kkkkkkk.Parece plágio se eu fosse vc,me processaria kkkkkkkk.Abraço irmão.

Xampa disse...

Mr Vagner, não tinha visto esse seu post. Que pena. Deu algo errado aqui no reader.
Mas, deixa rolar.
Concordo com o seu texto. E me coloco dentro dos sem foco.
Fiz o primeiro triatlhon na ultima prova do ano e aí o negócio desandou, eu desandei e tal.
Mas, realmente, não precisamos de tanto off-season, o que precisamos é treinar direito.

VAleu !